D. Antonino Dias publica nomeações e dispensas para o ano pastoral 2019/2020

Portalegre, 30 jul 2019 (Ecclesia) – O bispo de Portalegre-Castelo Branco nomeou o religioso verbita Floriano Jaling, natural da Indonésia, como diretor ‘in solidum’ do Secretariado Diocesano das Missões e das Obras Missionárias Pontifícias.

O sacerdote é ainda designado pároco ‘in solidum’ das paróquias de Amieira do Tejo, Arez, Gáfete, Montalvão, Nisa (Espírito Santo e Nossa Senhora da Graça), Santana, São Matias do Cacheiro, São Simão do Pé da Serra, Tolosa e Alpalhão.

D. Antonino Dias anuncia ainda que o padre Luboya Ilunga Pontien, da Arquidiocese de Kananga (República Democrática do Congo), a residir no Seminário de Alcains desde 8 de julho, vai passar a trabalhar no território da Diocese de Portalegre-Castelo Branco.

O bispo agradece o “trabalho e a disponibilidade de todos” os que são referidos na listagem de nomeações e dispensas, que visa “dar resposta a algumas situações pastorais.

Além de várias mudanças em comunidades paroquiais, a irmã Maria Fernanda Luz Rosa, das Irmãs Filhas de Maria Auxiliadora-FMA, Salesianas, foi designada diretora do Secretariado Diocesano da Pastoral da Juventude e das Vocações.

O bispo de Portalegre e Castelo Branco decidiu ainda retirar as funções de pároco a um padre condenado em tribunal por burla.

O afastamento do até agora pároco de São Vicente e São João, em Abrantes, está relacionado com o processo judicial em que se viu envolvido, confirmou à Renascença o bispo de Portalegre e Castelo Branco, D. Antonino Dias.

Num comunicado intitulado “Razões da decisão”, publicado no site da diocese, D. Antonino Dias começa por sublinhar que o padre José da Graça “criou e consolidou” em Abrantes “uma obra social admirável”, que “não está nem fica em causa”, e que a diocese e a cidade “devem-lhe muito e sabem reconhecer isso”.

O bispo diocesano espera que “este desassossego não ponha em causa a grandeza da obra construída”.

OC

Notícia atualizada

Partilhar:
Share