D. Rui Valério presidiu à celebração e instituiu São Teotónio como padroeiro deste comando

Foto: Exército Português

Porto, 26 nov 2021 (Ecclesia) – O bispo do Ordinariato Castrense presidiu hoje à Missa do ‘Dia do Comando do Pessoal do Exército’ e afirmou que esta comemoração abrange “a história de Portugal e o seu percurso de nação soberana e livre”.

“A celebração de hoje sintoniza-nos com o que de mais precioso e elevado possui o Exército, ao mesmo tempo que aí reside a sua identidade e definição: As pessoas que o constituem, que o formam e lhe dão vida”, disse D. Rui Valério, na igreja da Lapa, no Porto.

Na homilia enviada à Agência ECCLESIA, o bispo das Forças Armadas e Força de Segurança salienta que a comemoração do Dia do Comando do Pessoal do Exército “transcende o momento presente” e o âmbito do próprio Exército, “para abranger a história de Portugal e o seu percurso de Nação soberana e livre”.

No contexto da pandemia Covid-19, D. Rui Valério explicou que foi obra dos Militares uma parte significativa das ações mais ousadas, “seja no combate direto, seja na precaução”, e a eles se deve o “reconhecido sucesso da vacinação”.

“Mas o verdadeiro êxito reside na consciência viva dos portugueses, atualmente ainda plenamente ativa, de aderir à vacina”, acrescentou, referindo que o povo confia “nas suas Forças Armadas, confiam no seu Exército, nas suas mulheres e nos seus homens”.

“Como no passado, os Militares do Exército foram pioneiros no surgimento de uma mística de nação; Têm sido tempos difíceis, mas os militares do Exército e dos outros ramos têm transmitido confiança e serenidade porque têm estado com os portugueses, tem-nos acompanhado e tem procurado responder às exigências sanitárias que o momento exige”, desenvolveu.

Foto: Exército Português

O bispo do Ordinariato Castrense de Portugal, a partir da liturgia – da parábola da semente do grão de mostarda e do fermento – disse que uma das principais missões do militar é “ser pessoa de valores, de ética – sempre, onde quer que se esteja” – e com eles “levedar a humanidade”, inspirá-la no bem, plasmá-la na justiça, “configurar a cultura com a verdade, a lealdade, honra”.

Na celebração do ‘Dia do Comando do Pessoal do Exército’ foi instituído como seu padroeiro São Teotónio, primeiro santo português, e D. Rui Valério recordou que foi “determinante na vida” de D. Afonso Henriques e decisivo para “a constituição da nova nação emergente”.

São Teotónio, nascido cerca de 1082 no concelho de Valença do Minho, morreu em 1162, depois de ter estado ligado ao primeiro rei português.

“O seu prestígio, cruzava as fronteiras da própria península ibérica e transmitia a seriedade dos propósitos lusos de constituir uma nova Nação. Também hoje, no plano internacional, os maiores embaixadores da referencialidade de Portugal são os portugueses. E, nomeadamente os seus Militares”, salientou o bispo do Ordinariato Castrense.

O Exército Português informa que o Comando do Pessoal assegura as suas atividades no domínio da administração dos recursos humanos, da formação e da saúde, e que o aniversário evoca a publicação do Regimento Anadel-Mor, em 1443.

CB

Partilhar:
Share