Madrid, 18 mai 2019 (Ecclesia) – A cerimónia de beatificação da doutorada em química e investigadora espanhola Guadalupe Ortiz de Landázuri (1916-1975) que, entre outras coisas, levou a mensagem do Opus Dei para o México, realizou-se este sábado, em Madrid (Espanha).

A cerimónia que teve lugar no pavilhão Palácio de Vistalegre Arena da capital espanhola contou com cerca de 11000 pessoas de mais de 60 países e numa carta enviada a D. Fernando Ocáriz, prelado do Opus Dei, o Papa Francisco considera a nova beata como exemplo “para aspirar a uma santidade da normalidade”, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA pelo Opus Dei.

O Papa Francisco ressaltou que Guadalupe Ortiz de Landázuri “pôs as suas muitas qualidades humanas e espirituais ao serviço dos outros, dando ajuda especial a outras mulheres e suas famílias carentes de educação e desenvolvimento”.

Na missiva, o Papa argentino ressalta que a nova beata “realizou tudo isto sem qualquer atitude proselitista, mas somente com a oração e o testemunho”, “com a alegria que brotava da sua consciência de filha de Deus, aprendida do próprio São Josemaria”.

O delegado do Papa Francisco foi o cardeal Giovanni Angelo Becciu, prefeito da Congregação para as Causas dos Santos.

O cardeal de Madrid, D. Carlos Osoro, o prelado do Opus Dei, D. Fernando Ocáriz, seis cardeais, nove arcebispos, dezassete bispos e cerca de 150 sacerdotes concelebraram com ele.

Depois da solene fórmula da beatificação, a imagem da nova beata foi desvelada e suas relíquias foram levadas ao altar por familiares da nova beata e pelos familiares de Antonio Sedano, curado pela intercessão de Guadalupe.

LFS

Partilhar:
Share