D. Amândio Tomás, bispo auxiliar de Évora, fala do sucessor de Pedro D. Amândio Tomás, bispo auxiliar de Évora, é amigo pessoal do cardeal Ratzinger que foi eleito hoje Bento XVI. “Uma pessoa muito competente, um grande teólogo que leccionou em várias universidades da Alemanha e um homem muito próximo de João Paulo II” – disse à Agência ECCLESIA o prelado. Para além das qualidades intelectuais, o prelado de Évora que contactava frequentemente com o Cardeal Ratzinger quando era Reitor do Colégio Português, em Roma, refere que o cardeal alemão “tem sido erroneamente apresentado como uma pessoa difícil e dura”. Ao contrário do que se diz – acentua D. Amândio Tomás – o cardeal Ratzinger “é muito simples e humilde”. E relata um episódio de uma visita do cardeal alemão a Fátima: “ele fez questão de levar uma das minhas malas no Aeroporto”. Apesar de “um pouco tímido” é “muito encantador e tem uma inteligência brilhante” refere o seu amigo D. Amândio Tomás. Para o bispo auxiliar de Évora, Bento XVI “não pode ser uma cópia de João Paulo II” mas algumas linhas que o antecessor encetou “ele irá continuá-las”. E aponta algumas directivas para este Pontificado: “irá chamar a atenção para a vivência da fé cristã” porque “há um secularismo e indiferentismo enorme na sociedade”. Alguns sectores da Igreja referem que o cardeal Ratzinger era conservador. Esta era uma forma de “atacar João Paulo II”. Atacando os íntimos colaboradores atacava-se “o Papa reinante” – menciona. João Paulo II fez mais de cem viagens apostólicas. Foi um Papa peregrino. Com certeza que Bento XVI também “será peregrino mas não tem idade para continuar naquele ritmo de João Paulo II” – salienta o antigo reitor do Colégio Português em Roma. E acrescenta: “também é necessário concentra-se na renovação da própria cúria romana”. Como é necessário “aplicar o II Concílio Vaticano”, esta escolha “foi fundamental”. O cardeal Ratzinger esteve no Concílio como teólogo e “temos poucos dessa geração”. Para muitas personalidades da Igreja “ele era o candidato preferido”” – frisou o bispo auxiliar de Évora. E resume: “foi dos teólogos mais progressistas do Concílio”. A biblioteca de D. Amândio Tomás tem alguns livros do Cardeal Ratzinger e alguns deles “são sobre Nossa Senhora. É um Papa mariano”. Bento XVI tinha três irmãos. Uma irmã que já faleceu e o “acompanhou em Roma” e um irmão mais velho que é padre e “um grande músico” – disse o antigo reitor do Colégio Português em Roma.

Partilhar:
Share