O primeiro número de 2010 da “Communio”, Revista Internacional Católica, é dedicado ao tema da República.

O volume de 128 páginas abre com um artigo de Isidro Lamelas intitulado “O Evangelho e a ‘res publica’ no protocristianismo ou o paradoxo da cidadania cristã”.

Os quatro textos seguintes detêm-se na história do regime republicano português, começando com uma análise de João Seabra sobre “A ‘Lei da Separação’ de 1911”.

Luís Machado de Abreu apresenta “Perspectivas sobre o anticlericalismo português”, enquanto que Sérgio Pinto propõe o estudo “‘Socialista, republicano e laico’. Identidade, programa político e societário”.

A terminar a análise sobre os primeiros anos do regime implantado a 5 de Outubro de 1910, Rita Mendonça Leite escreve sobre a “I República. Protestantismo e liberdade de culto”.

O desenvolvimento do tema proposto pela “Communio” de Janeiro, Fevereiro e Março prossegue com uma abordagem internacional.

Mendo Castro Henriques investiga “Os filósofos da República. O caso da ‘Commonwealth’” e Luís Salgado Matos discorre sobre as “Repúblicas populares: ideologia e utopia. As Igrejas cristãs e a revolução política”.

Por seu lado, Alfredo Teixeira reflecte sobre os “Os dois corpos do Presidente da República. Notas para uma releitura de E. Kantorowicz”.

Na área dedicada aos “Depoimentos”, Francisco Sarsfield Cabral explora os “Apelos de Enzo Bianchi aos católicos” e João Eleutério escreve sobre “Santa ignorância. Notas de leitura”.

A fechar este número, Maria Vitalina Leal de Matos propõe um “Testemunho sobre o Padre Honorato” e na secção “Perspectivas” Marie-Françoise Baslez estuda “O cristianismo antigo perante a cultura desportiva do mundo greco-romano”.

De acordo com a contracapa deste volume, as restantes edições de 2010 da “Communio” vão ser dedicadas aos temas “Mistério Pascal”, “Justiça e Direito” e “Novos olhares sobre a Igreja”.

Partilhar:
Share