Diácono João Gonçalves, da Diocese do Funchal, vai viver em 2021 um momento especial 

Lisboa, 15 jan 2021 (Ecclesia) – O diácono João Gonçalves, da Diocese do Funchal, vive em 2021 a reta final da preparação para o sacerdócio, enfrentando os novos desafios colocados pela pandemia.

“Eu fui preparado, ao longo de seis anos, para uma determinada realidade que não é a que tenho agora. Por outro lado, fui formado para me saber adaptar aos tempos e às circunstâncias”, refere o convidado de hoje nas ‘Novas Conversas’, promovidas pela Agência ECCLESIA.

O jovem, de 24 anos, assinala que apesar da “incerteza” provocada pela pandemia, 2021 será um ano “muito importante” para si, com o momento da ordenação sacerdotal”.

O trabalho académico está, neste momento, centrado na dissertação do mestrado integrado em Teologia, na Universidade Católica, sobre “o mal e o sofrimento humano” e o “paradeiro de Deus”, no meio destas situações.

“Isso tem-me ajudado, de modo especial, a encarar estes tempos também com um olhar de esperança”, relata o entrevistado.

Foto: Jornal da Madeira

A ordenação diaconal aconteceu a 27 de dezembro, no Funchal, e a ordenação sacerdotal vai acontecer no próximo verão, num contexto de pandemia que se adivinha difícil.

“É sempre um pouco triste estarmos limitados por causa de tanta coisa, da saúde. Vou com expectativa, no sentido de fazer tudo o que é possível, usando todos os meios que tenho à minha disposição para poder desempenhar a missão para onde o bispo me mandar”, admite o diácono João Gonçalves.

A experiência de dezembro permitiu experimentar uma festa “mais focado no essencial”, no “sentido e a beleza mais profunda”.

“Quando os vazios da festa, das pessoas muito importantes que não puderam estar, existem na nossa vida, acho que nos levam a olhar para dentro das coisas. É nesta perspetiva que olho para a ordenação sacerdotal”, observa o futuro sacerdote.

A caminhada no seminário iniciou-se em 2012, no contexto da “busca de sentido” para a vida e de regresso à participação na comunidade católica.

“O que me fez aproximar da Igreja foi o encontro com católicos”, conclui o diácono João Gonçalves.

‘Novas conversas’ é o mote das ‘Conversas na Ecclesia’ no início deste ano, com o propósito de partilhar objetivos e desejos para 2021 de jovens de diversas regiões e latitudes, de segunda a sexta-feira, no sítio online da Agência ECCLESIA e na sua página na rede social Facebook.

OC

Partilhar:
Share