Dia 26 é feriado regional no arquipélago

Foto: C. M. Câmara de Lobos

Funchal, Madeira, 26 dez 2018 (Ecclesia) – As celebrações do Natal no arquipélago da Madeira prolongam-se hoje com a “Primeira Oitava”, feriado regional, vivida há séculos como um dia santo.

“É um dia em que se convive, em que não se trabalha, conviver mesmo, neste sentido de ‘viver com’, de ir visitar, de estar com os outros, provar o licor, comer a broa, ver a lapinha”, refere à Agência ECCLESIA a escritora e investigadora madeirense Graça Alves.

O feriado foi instituído pelo Decreto Legislativo Regional n.º 18/2002/M, que evocava o facto de “há muito” as comemorações natalícias se prolongarem na Madeira pelo dia popularmente conhecido por “primeira oitava”.

“É dia de ir à Missa, é dia de ir visitar os familiares que não recebemos no dia da Festa”, precisa Graça Alves, coordenadora do Almanaque do Posto Emissor do Funchal.

Tanto na cidade como nas aldeias é habitual ver “romagens” de pessoas que visitam as casas de familiares e amigos, para ver os presépios e provar os doces típicos da época, num dia que continua a ser “muito especial”.

“Este dia 26 é muito importante para nós, para esta vivência natalícia ainda, do Menino Jesus que nasce, da família que se junta. Vai-se prolongando, a Festa continua aqui”, precisa a entrevistada.

Graça Alves recorda ainda que esta era a data escolhida para “estrear a roupa nova” que se tinha recebido no Natal.

Em muitas casas é possível encontrar o presépio tradicional com raízes medievais, um trono ou altar armado em escadaria, conhecido como “lapinha”.

Este é um sinal da persistência das tradições do Natal, “a Festa”, como é conhecida a celebração no arquipélago Madeirense.

“As pessoas vivem para a Festa, muitas das conversas são feitas em função da Festa”, realça Graça Alves, para explicar que, nestas ilhas do Atlântico, o tempo do Natal “não é só o dia 25”

A escritora deixa, em conclusão, um convite a passear na cidade do Funchal, “sempre tão bonita nesta altura do ano”.

A celebração da “primeira oitava” na Madeira está hoje em destaque no programa ECCLESIA, na Antena 1 da rádio pública, pelas 22h45.

Liturgicamente, o tempo do Natal compreende as festas de S. Estêvão, S. João evangelista e dos Santos Inocentes – respetivamente a 26, 27 e 28 de dezembro -, dentro da oitava do Natal, que vai do dia 26 até 1 de janeiro.

Inclui ainda as festas da Sagrada Família (domingo após o Natal); a solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus, a 1 de janeiro; e a solenidade da Epifania do Senhor, conhecida popularmente como dia de Reis (6 de janeiro de 2019).

O tempo de Natal termina com a festa do Batismo do Senhor, no domingo após a Epifania (13 de janeiro de 2019).

OC

Partilhar:
Share