Viana do Castelo, 06 jun 2019 (Ecclesia) – O bispo de Viana do Castelo disse que o convite de Deus é largar as redes no mar, mas também em terra sendo “pescadores de homens”, no Encontro Nacional do Apostolado do Mar realizado em Monserrate.

“Não devemos viver nem muito ao céu nem muito à terra”, afirmou D. Anacleto Oliveira, destacando o exemplo dos pescadores que vão buscar o seu sustento e alimento ao mar mas regressam à terra.

Na informação enviada à Agência ECCLESIA, a diocese do Alto Minho contabiliza que participaram na Eucaristia mais de 500 pessoas na igreja de S. Domingos depois de uma procissão que começou no Santuário da Senhora da Agonia, com os andores de Nossa Senhora Estrela-do-Mar e do Bem-Aventurado Beato Bartolomeu dos Mártires e os estandartes do Apostolado do Mar de Viana do Castelo, Vila Praia de Âncora, Caxinas, Nazaré, Peniche, Setúbal, Sesimbra e Fuzeta.

Na homilia, D. Anacleto Oliveira explicou que o convite de Deus é largar as redes no mar mas também em terra sendo “pescadores de homens”.

A Missa contou com um fado dedicado a Nossa Senhora Estrela-do-Mar, por Nia Cabral, do Apostolado do Mar de Monserrate, e o encontro nacional dos “homens-do-mar” terminou depois de um convívio de confraternização onde foi apresentado um pouco dos costumes e tradições do Alto Minho com o Grupo Folclórico Renascer.

A Paróquia de Nossa Senhora de Monserrate acolheu a “Festa das Praias”, o Encontro Nacional do Movimento do Apostolado do Mar, nos dias 1 e 2 deste mês, que começou com uma celebração Mariana com o tema ‘Receber Maria Estrela-do-Mar em nossa casa’.

CB/OC

Partilhar:
Share