Presidente da Irmandade afirma que é necessário «apoiar este povo irmão nesta hora difícil»

Foto Lusa, desalojados por causa do ciclone Idai, Moçambique

Porto, 23 mar 2019 (Ecclesia) – A Irmandade dos Clérigos decidiu esta tarde enviar um donativode 50 mil euros para apoiar as famílias atingidas pelo ciclo Idai, em Moçambique.

Para o presidente da Irmandade dos Clérigos, padre Américo Aguiar, é necessário “apoiar este povo irmão nesta hora difícil”.

“Temos todos, dentro das nossas possibilidades, que dar o nosso melhor para minimizarmos os graves danos que este ciclone provocou”, afirma o presidente da Irmandade dos Clérigos em comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA.

O padre Américo Aguiar refere que está em caus uma “tragédia sem precedentes naquela região africana, com mais de 3 milhões de pessoas afetadas e já cerca de 5 centenas de vidas perdidas só em Moçambique”.

A Irmandade dos Clérigos anunciou que vai entregar a ajuda material ao bispo do Porto, D. Manuel Linda, que em “articulação com os senhores bispos de Moçambique e com o seu sentido pastoral possam ajudar no terreno os deslocados e desalojados nestes primeiros dias”.

“Queremos que o sofrimento possa ser ligeiramente aligeirado com esta presença”, afirma o padre Américo Aguiar, recordando que, nestes dias, “estão a escassear bens de primeira necessidade”

“É nos momentos difíceis que nos devemos superar”, acrescente o presidente da Irmandade dos Clérigos.

“Do alto da Torre dos Clérigos, do alto deste Porto de que somos ex-libris, temos que gritar solidariedade para com Moçambique”, conclui.

A passagem do ciclone Idai há uma semana, de 14 para 15 de março, deixou um rasto de destruição em Moçambique, a zona mais afetada foi a região da Beira, o Zimbábue e o Maláui.

Os dados mais recentes, divulgados hoje, contabilizam 417 mortos em Moçambique, 1511 feridos, e já foram registados os primeiros casos de cólera.

PR

Partilhar:
Share