D. Luiz Fernando Lisboa dirige-se à comunidade moçambicana e da comunidade internacional

Pemba, Moçambique, 30 out 2020 (Ecclesia) – O bispo de Pemba, diocese moçambicana na província de Cabo Delgado, pediu “ajuda e solidariedade” da comunidade moçambicana e internacional para a “crise humana muito forte” que se vive no norte do país africano.

“É uma situação muito difícil, uma crise humana muito forte para a qual imploramos ajuda e solidariedade da comunidade moçambicana e da comunidade internacional”, disse D. Luiz Fernando Lisboa, na informação enviada hoje à Agência ECCLESIA pelo secretariado português da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS).

Num vídeo, gravado durante uma ação da Cáritas de Moçambique na praia de Paquitequete, o bispo de Pemba explica que aquele bairro “é um lugar onde têm chegado os barcos com os deslocados” que estão a “fugir das cidades vizinhas e das ilhas”.

“Já chegaram cerca de 1710 embarcações, cerca de 10 mil pessoas, e continuam a chegar. Algumas por causa dos ataques que sofreram, outras saem das aldeias preventivamente porque têm medo”, contabiliza.

D. Luiz Fernando Lisboa afirma que “é uma situação muito difícil e ainda são centenas de pessoas que dormem na praia”, em tendas improvisadas porque ainda não existe um local para as receber mas “a maior parte são levadas pelas famílias que têm naquela zona ou “famílias que se comovem com a situação e acabam levando gente para casa”.

“Infelizmente já aconteceu caso de morte tanto de gente que morreu no caminho, essas pessoas ficam às vezes três, quatro dias no mar e chegam desidratadas, doentes, já houve partos durante a viagem”, alertou.

O bispo de Pemba acrescenta que a população vive “uma situação generalizada de muito medo” por causa dos ataques de grupos armados, que reivindicam pertencer ao autoproclamado Estado Islâmico – Daesh, na Província de Cabo Delgado, no norte de Moçambique.

No vídeo, gravado numa uma ação na praia de Paquitequete, D. Luiz Fernando Lisboa pede por exemplo aos agentes da Cáritas de Moçambique que estejam juntos das pessoas, dando-lhes atenção.

O secretariado português da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre recorda que recentemente o padre Kwiriwi Fonseca, responsável pela comunicação da Diocese de Pemba, alertava para a necessidade de se reforçar a ajuda humanitária para que a Igreja local tenha meios para apoiar as pessoas em fuga.

A fundação pontifícia AIS está a promover uma campanha de ajuda para a Diocese de Pemba com “uma assinalável adesão dos benfeitores portugueses” mas também a nível internacional com “o envolvimento ativo de diversos secretariados”.

CB/OC

 

Partilhar:
Share