Media: Relação da Igreja com os meios de comunicação «tem de estar na primeira linha de preocupação» – Reitor do Santuário de Fátima

Dia Mundial das Comunicações Sociais 2024 é assinalado no dia 12 de maio

Foto: Santuário de Fátima

Lisboa, 11 mai 2024 (Ecclesia) – O reitor do Santuário de Fátima defende que a relação da Igreja Católica com os meios de comunicação “tem de estar na primeira linha de preocupação”, sublinhando a importância destes na “missão” da instituição.

“Não há dúvidas sobre o lugar fundamental que a comunicação tem também para a vida da Igreja e tem que ver com a própria missão da Igreja. Se a Igreja é chamada a viver o Evangelho e a dá-lo a conhecer, não o pode dar a conhecer ignorando a sua relação com os meios de comunicação e, por isso, essa relação tem de estar na primeira linha de preocupação”, afirmou o padre Carlos Cabecinhas, em entrevista à Agência ECCLESIA.

A Igreja Católica vai celebrar este domingo o 58.º Dia Mundial das Comunicações Sociais 2024, uma data que celebra este setor, que segundo o sacerdote, “sempre esteve nas prioridades do Santuário”.

O padre Carlos Cabecinhas lembra que, “desde muito cedo, o próprio Santuário, os próprios responsáveis sentiram a necessidade de utilizar a comunicação para dar a conhecer a mensagem” de Fátima.

“Por isso é que eu tenho dito em algumas ocasiões que Fátima e comunicação estão unidos por uma certa conaturalidade, isto é, Fátima vive também da sua comunicação e não temos dúvidas que o relevo que Fátima hoje tem o deve muito à comunicação”, destaca.

O entrevistado reconhece que as jornadas de comunicação que o Santuário da Cova da Iria promove são um desafio para tomar consciência da relação entre o Santuário e a comunicação e que o mesmo acontece com a data de 12 de maio.

“[O Dia das Comunicações Sociais] é para nós [um] desafio não só a tomarmos consciência, mas também podermos falar aos nossos peregrinos desta importância e da importância dos meios de comunicação social da Igreja”, realçou.

Sobre a evolução da relação da Igreja com os meios de comunicação, o reitor do Santuário de Fátima assume que a Igreja muitas vezes “olha com alguma desconfiança nomeadamente para aquilo que são novas formas de comunicação”.

Segundo o padre Carlos Cabecinhas, a Igreja tem também de fazer “este caminho de conversão interna para perceber as virtualidades que daí advêm e perceber a sua forma de presença” nestes meios.

“Fundamentalmente trata-se de, com sentido crítico, perceber como é que a Igreja pode e deve estar presente nessas plataformas de comunicação”, indica.

O Dia Mundial das Comunicações Sociais é a única celebração do género estabelecida pelo Concílio Vaticano II, no decreto ‘Inter Mirifica’, em 1963; assinala-se, em cada ano, no domingo antes do Pentecostes – 12 de maio, em 2024.

Este ano, o Papa Francisco dedicou a mensagem para este dia à Inteligência Artificial.

O Programa ECCLESIA desta sexta-feira, emitido na RTP2, teve o padre Carlos Cabecinhas como convidado, abordando também a peregrinação internacional dos dias 12 e 13 de maio, em Fátima, e o V Congresso Eucarístico Nacional.

PR/LJ/OC

Igreja/Media: Olhar humano do jornalista «vai ser sempre fundamental» na comunicação social – Isabel Figueiredo

Partilhar:
plugins premium WordPress
Scroll to Top