D. Américo Aguiar destaca que rádios portuguesas têm «consciência» que são «parceiro fundamental» e diz a Eucaristia vai ser transmitida diariamente

Foto Joana Bougard/Renascença

Lisboa, 14 mar 2020 (Ecclesia) – O presidente do Conselho de Gerência do Grupo Renascença afirmou que vão ter um “cuidado especial” na programação e que as rádios têm “consciência” que são um “parceiro fundamental para a vivência deste problema grave” originado pelo coronavírus Covid-19.

“Atendendo que muitos portugueses estarão em casa, e bem, que os locutores e programas tenham em consideração isso, não se faça de conta que não há problema nenhum mas também não se exagere permanentemente o problema ou a dificuldade”, disse hoje D. Américo Aguiar em declarações à Agência ECCLESIA.

Neste contexto, o presidente do Conselho de Gerência do grupo Renascença Multimédia explica que “há de haver bom senso e equilíbrio” entre o que é a informação “rigorosa, verdadeira”, e o que é o entretenimento para que as três rádios – Renascença, RFM e Mega Hits – possam “ajudar as famílias que vão estar com as crianças em casa e muito mais tempo”.

“A rádio mais uma vez, ao longo dos tempos e agora pode ser uma companhia a ter em conta ao longo do dia”, salientou o responsável pelo grupo que tem três rádios – Renascença, RFM e Mega Hits.

Destinada ao público mais jovem, a MEGA HITS, por exemplo, começou hoje às 14h00 as suas ‘Home Music Sessions’, com a Carolina Deslandes, “um conteúdo muito interessante para livestream no Instagram da própria rádio” para este período “de recolhimento para todos”.

Em comunicado, a Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) determinou a suspensão da celebração comunitária das Missas, até “ser superada atual situação de emergência”, esta sexta-feira.

D. Américo Aguiar explica que o Grupo Renascença vai começar a transmitir a Eucaristia diária, às 12h00, de segunda a sábado, na Rádio Renascença, a partir da sua capela privada, na Quinta do Bom Pastor, para além da Missa ao domingo; Às 18h30, os ouvintes podem continuar a acompanhar a recitação da oração do Terço no Santuário de Fátima, que vai passar a ser rezado na Basílica do Rosário de Fátima.

Segundo o membro da Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais da Igreja Católica em Portugal, aos domingos, a RTP vai continuar a transmitir a celebração da Missa, a partir de um espaço privado da Paróquia de Cristo Rei da Portela, e a TVI da capela privada do Seminário dos Olivais, no Patriarcado de Lisboa.

Neste contexto, destaca ainda “a multiplicação da oferta de transmissões web” da Eucaristia por dioceses e paróquias portuguesas, “via Facebook”, “o que é interessante porque não há falta de oferta” e as pessoas agarraram “esta oportunidade para potenciar as possibilidades que os novos media oferecem”.

O presidente do Conselho de Gerência do Grupo Renascença assinalou que a emissora católica e as outras rádios de Portugal têm “consciência” que são um “parceiro fundamental para a vivencia deste problema grave e da responsabilidade com a sociedade portuguesa” em fazer “todos os esforços por manter sempre a emissão” e a corresponsabilidade de serem “cadeias de comando e transmissão de informação segura e verdadeira” da parte das autoridades.

“Temos a responsabilidade de defender a vida uns dos outros, de nos defender uns aos outros, portanto é um desígnio nacional”, concluiu D. Américo Aguiar, recordando os apelos do primeiro-ministro português.

A Direção Geral de Saúde informou hoje que em Portugal existem 169 pessoas infetadas, 1704 suspeitos, 126 pessoas estão em análise e 5011 em vigilância; O surto de Covid-19 foi detetado em dezembro de 2019, na China, e a Organização Mundial de Saúde a declarar a doença como pandemia.

CB

 

Covid-19: «Templos» e liturgias no ambiente digital

Partilhar:
Share