Instituição recebe Insígnia Autonómica de Bons Serviços

Funchal, Madeira, 01 jul 2020 (Ecclesia) – O Governo Regional da Madeira distinguiu hoje o Centro Social e Paroquial de São Bento, na Ribeira Brava, com a Insígnia Autonómica de Bons Serviços.

“É com grande comoção que recebemos esta distinção”, disse à Agência ECCLESIA o padre José Bernardino Trindade, pároco da Ribeira Brava e presidente da Direção do centro, destacando os 24 anos de serviço “no terreno”, junto da população do concelho e da região.

Segundo o religioso dehoniano, este é um reconhecimento que leva todos os envolvidos no trabalho da instituição a “servir mais e melhor”, em particular a população-alvo que são os idosos.

O sacerdote destaca que a pandemia de Covid-19 centrou a atenção da opinião pública no acompanhamento dos idosos, admitindo que limitação das visitas criou “grande ansiedade”, visto o grande tempo que passaram em isolamento.

Após o confinamento, o Centro Social e Paroquial de São Bento instalou acrílicos, para que todos se possam ver sem máscara, visando promover uma “maior tranquilidade” nos utentes mais velhos.

Antes, o recurso aos meios eletrónicos foi uma maneira de “mitigar” a ansiedade e “combater o isolamento” de quem se encontrava afastados do seus familiares e do seu círculo de relações mais próximas.

A cerimónia de imposição das insígnias honoríficas madeirenses decorreu no Salão Nobre do Governo Regional, com limitação de número de participantes.

O Centro Social e Paroquial de São Bento é uma IPSS fundada a 11 de agosto de 1996, pela Paróquia da Ribeira Brava e instituições da comunidade local, com o objetivo de “debelar problemas sociais ligados às carências da população mais envelhecida e mais jovem”.

Estruturalmente, o centro procura apoiar a família desdobrando-se em Lar de Idosos, Centro de Dia e atividades para ocupação de tempos livres-ATL.

A sua intervenção procura “dar resposta a diferentes problemáticas do concelho, através de um modelo de intervenção sistémica e de uma prática integrada, estruturada em princípios éticos”.

No Dia da Madeira, o Governo Regional quer “prestar a devida homenagem a personalidades e instituições madeirenses que se notabilizaram por méritos pessoais ou institucionais, atos, feitos cívicos ou serviços prestados à região, através da imposição das insígnias autonómicas de valor, distinção e bons serviços”.

Este ano, são agraciadas sete personalidades e duas instituições.

O presidente do Governo Regional destacou tudo o que os galardoados vêm fazendo pela Região, sublinhando que as pessoas e instituições homenageadas merecem o nosso reconhecimento e a nossa gratidão.

Foto: Governo Regional da Madeira

O governante enalteceu ainda a importância de se reconhecer as pessoas: “Este escrutínio cívico é hoje um alicerce importantíssimo para continuarmos a construir, no nosso dia a dia, uma sociedade decente e humanista, onde predominam os valores da solidariedade, da responsabilidade, do mérito e do trabalho”.

Às 17h30, vai celebrada a Missa na Catedral do Funchal, presidida pelo bispo diocesano, D. Nuno Brás.

OC

Partilhar:
Share