Celebração, presidida pelo cardeal-patriarca, vai contar com a presença de D. Rino Fisichella, presidente do Conselho Pontifício para Promoção da Nova Evangelização

Lisboa, 12 out 2011 (Ecclesia) – O novo bispo auxiliar de Lisboa, D. Nuno Brás, vai ser ordenado no dia 20 de novembro, domingo da solenidade litúrgica de Cristo-Rei, às 16h00, numa celebração presidida pelo cardeal-patriarca no Mosteiro dos Jerónimos, anunciou o patriarcado.

Com D. José Policarpo serão bispos ordenantes o presidente do Conselho Pontifício para Promoção da Nova Evangelização, D. Rino Fisichella – professor de Teologia Fundamental em Roma do então padre Nuno Brás – e D. Manuel Clemente, bispo do Porto, também antigo reitor do seminário maior dos Olivais.

D. Nuno Brás, de 48 anos, foi nomeado esta segunda-feira, por Bento XVI, tendo escolhido como lema episcopal ‘In Verbo Tuo’ (Na Tua Palavra).

O novo bispo nasceu a 12 de maio de 1963 no Vimeiro, Lourinhã (patriarcado de Lisboa), e foi ordenado padre em julho de 1987.

Doutorado em Teologia Fundamental pela Universidade Pontifícia Gregoriana (Roma), o futuro auxiliar do patriarcado foi vigário paroquial de Nossa Senhora dos Anjos, diretor do semanário diocesano ‘Voz da Verdade’ (cargo a que regressou no início de 2011) e professor na Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa, tendo publicado a tese ‘Cristo, o Comunicador Perfeito: Delineamento de Uma Teologia da Comunicação à luz da Instrução Pastoral Communio et Progressio’, pelas Edições Didaskalia, da UCP.

Em 2002, foi nomeado reitor do Colégio Pontifício Português de Roma, cargo no qual foi sucedido por D. José Cordeiro, bispo de Bragança-Miranda, recentemente ordenado.

De regresso à capital portuguesa, em 2005, D. Nuno Brás assumiu os cargos de reitor do seminário maior de Cristo Rei (Olivais) e é diretor do departamento de comunicação do patriarcado de Lisboa desde 2010.

O patriarcado de Lisboa, cujo território não coincide com o do distrito, engloba mais de 2,3 milhões de pessoas (1,9 milhões de católicos) e perto de 300 paróquias.

O cardeal-patriarca, D. José Policarpo, tinha como bispos auxiliares D. Carlos Azevedo e D. Joaquim Mendes, aos quais se junta agora D. Nuno Brás.

VV/OC

Partilhar:
Share