Cardeal-patriarca interveio no «Faith’s Night Out» 2022

Foto: JMJ 2023

Lisboa, 01 mai 2022 (Ecclesia) – O cardeal-patriarca disse este sábado que a próxima edição internacional da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que a capital portuguesa recebe em 2023, vai “marcar inteiramente uma geração”.

D. Manuel Clemente falava na edição de 2022 do ‘Faith’s Night Out’ (FNO).

Segundo o responsável, citado pela Renascença, o Papa Francisco espera que a JMJ Lisboa 2023 seja “um grande impulso para a juventude mundial nestes tempos pós-pandémicos, que bem precisa de ser acordada, entusiasmada, para que através da juventude se relance a sociedade e o mundo”.

O FNO é uma iniciativa organizada pelas Equipas de Jovens de Nossa Senhora e decorreu, este sábado, no Centro de Congressos de Lisboa.

Na sua intervenção, D. Manuel Clemente recordou o processo de candidatura que levou o Vaticano a escolher Portugal para organizar o maior encontro de jovens do mundo, criado pelo Papa João II.

“No final de 2017, recebi uma carta de Roma [a confirmar que o evento seria em Lisboa]”, lembrou, realçando que nessa altura iniciou contactos com as autoridades civis.

A edição deste ano do ‘Faith’s Night Out’ contou com um total de 12 oradores que, em sete minutos cada, deram testemunho sobre a sua fé.

“Num mundo de abundância, viemos dizer-vos que há um só caminho”, afirmou na abertura Matilde Raposo, responsável nacional das Equipas de Jovens de Nossa Senhora, aludindo assim ao tema do evento ‘Um só Caminho’.

Isabel Galriça Neto, médica e ex-deputada do CDS-PP, sublinhou ainda que “a fé não pode ser tabu”, referindo a importância de falar dos próprios valores.

“Confio também que afirmem os vossos valores naquilo que tem que ver com a eutanásia e com a execução da morte dos mais vulneráveis”, exortou.

A encenadora Matilde Trocado falou sobre a experiência de “esbarrar com o transcendente” na sua área profissional.

“Vejo na arte uma porta aberta para o infinito e por isso quero ir, quero ver. Vou para a sala de ensaios para descobrir. E desta forma vou tentando aproximar-me do mistério”, disse a responsável por musicais como ‘Wojtyla’, sobre o Papa João Paulo II, ou ‘Partimos. Vamos. Somos’, que assinalou os 300 anos do Patriarcado de Lisboa.

O painel de oradores contou também com o cardiologista pediátrico e presidente da associação de médicos católicos, José Diogo Ferreira Martins; a psicóloga clínica, Alexandra Chumbo; o professor catedrático Paulo Otero; o antigo selecionador nacional de esgrima Bruno de Catrvalho; a presidente da Ajuda de Berço, Sandra Anastácio; o fundador e diretor da Academia TEN, Pedro Rocha e Melo, o casal Madalena e António Fontes e a jovem psicóloga Joana Sequeira.

OC

Partilhar:
Share