Iniciativa arrancou no dia 08 dezembro com a colocação de árvores em santuários

Foto Ricardo Perna

Lisboa, 09 dez 2022 (Ecclesia) – A Fundação Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Lisboa 2023, em parceria com a Global Tree Initiative (GTI), lançou, no dia 08 de dezembro, Solenidade da Imaculada Conceição, o desafio mundial de plantação de árvores que pretende alertar para a importância da biodiversidade e para as alterações climáticas.

O momento foi marcado pela plantação de uma árvore junto ao Santuário da Nossa Senhora das Neves, na Serra de Montejunto, no Cadaval (Patriarcado de Lisboa)

A plantação foi organizada pela Câmara Municipal do Cadaval e o grupo de jovens do Cadaval, tendo contado com a presença de José Sá Fernandes, coordenador do Grupo de Projeto para a JMJ Lisboa 2023, e Carmo Diniz, coordenadora do Gabinete de Diálogo e Proximidade do Comité Organizador Local (COL) da JMJ Lisboa 2023.

Carmo Diniz lembrou que “cuidar da Casa Comum é o que Deus nos pede, para cuidarmos da Criação, recebermos como dom a Vida e a Criação, e cuidarmos dela da melhor maneira que sabemos” e revela que, com este desafio, se pretende “construir um mapa mundial de árvores dedicadas à JMJ e também compensar a pegada ecológica deixada pela Jornada”.

A coordenadora do Gabinete de Diálogo e Proximidade do COL explicou ainda que este é um desafio para que, quem “queira ser peregrino da JMJ ou que queira ter alguma ligação com a Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023, o possa fazer plantando, no local onde se encontra, uma árvore autóctone”, uma árvore originária do próprio território, “e que a dedique à JMJ”.

Referindo-se ao gesto escolhido para marcar oficialmente o lançamento do desafio mundial de plantação de árvores, José Sá Fernandes não tem dúvidas de que “o caminho é este” e que “o sinal que foi dado hoje junto dos jovens é para que plantem mais”.

O coordenador do Grupo de Projeto para a JMJ Lisboa 2023 lembrou ainda que a Jornada que vai acontecer em Lisboa, em agosto de 2023, “vai deixar um legado físico ambiental”, referindo, por exemplo, “novas plantações de árvores”.

O Santuário do Sameiro, em Braga, também aderiu e nesse dia que tem um significado especial para o Santuário, jovens escuteiros e membros da Confraria de Nossa Senhora do Sameiro, com a presença do presidente da Confraria, cónego José Paulo Abreu, plantaram 4 jacarandás na Alameda que conduz à Basílica.

A responsável pelo Gabinete de Diálogo e Proximidade revelou ainda que o desafio arrancou com mais de 1.000 árvores plantadas, estando já traçado o caminho de uma verdadeira conversão ecológica a que nos convida o Papa Francisco.

Para que o legado desta Jornada Mundial da Juventude seja ainda mais positivo e duradouro, a Fundação JMJ Lisboa 2023 convida todos a juntarem-se a este movimento.

LFS

Partilhar:
Share