Responsáveis destacam «empenho decidido no combate à chaga dos abusos sexuais»

Foto: Patriarcado de Lisboa

Lisboa, 11 ago 2022 (Ecclesia) – A Comissão Permanente do Conselho Pastoral Diocesano de Lisboa uniu-se hoje às manifestações de apoio ao cardeal-patriarca, D. Manuel Clemente, pedindo se tenha em conta a “globalidade da sua ação” na luta contra abusos sexuais na Igreja.

“Verificamos o seu empenho decidido no combate à chaga dos abusos sexuais de menores e pessoas vulneráveis nos ambientes eclesiais, com atenção primordial à proteção das vítimas, na possível reparação dos danos do passado e na mais cuidada e vigorosa prevenção da sua repetição no futuro”, assinala uma nota do organismo, enviada à Agência ECCLESIA e publicada online.

Os signatários destacam a “entrega incondicional e sem reservas” do patriarca de Lisboa “ao serviço da Igreja e da sociedade portuguesa”.

“Experimentamos, diretamente e em especial, o seu esforço denodado no sentido de levar o Evangelho a todos, de crescer na vivência da sinodalidade da Igreja e na preparação do evento inédito e irrepetível que representam, para a nossa diocese e o nosso país, as próximas Jornadas Mundiais da Juventude”, acrescenta a nota.

A Comissão Permanente do Conselho Pastoral Diocesano refere-se à “intensa cobertura mediática” que envolve D. Manuel Clemente, nas últimas semanas, a respeito da sua gestão de denúncias de casos de abusos sexuais.

Para os responsáveis, “a par do justo dever de informar”, esse tratamento jornalístico “incorre em condenação pública” que atinge o patriarca de Lisboa, “baseado numa intervenção pontual cujo sentido tem sido distorcido, que não tem em conta a globalidade da sua ação neste campo e que nada tem a ver com a proteção das vítimas desse crime”.

O Conselho Pastoral Diocesano é constituído por leigos, religiosos, diáconos e sacerdotes, representantes de todas as comunidades católicas, para ajudar o patriarca de Lisboa na decisão e desenvolvimento da ação pastoral.

Porque em nada diminuiu a nossa estima e a nossa confiança no Sr. D. Manuel Clemente, e convictos de que exprimimos o sentir de muitos outros diocesanos, vimos manifestar o nosso desejo mais sincero de que ele continue a sua missão de Patriarca de Lisboa, no que poderá contar com a nossa reforçada, solidária e afetuosa colaboração”.

A nota é assinada pelos membros da Comissão Permanente: irmã Idília Carneiro, Isabel Figueiredo, cón. José Miguel Pereira, Jorge Sá Nogueira, Maria de Fátima Salgueiro, Mariana Freitas, Michelle Lopes e Pedro Vaz Patto.

A 5 de agosto, o Papa recebeu em audiência privada, no Vaticano, o cardeal-patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente.

O Patriarcado informou então, em comunicado enviado à Agência ECCLESIA, que o encontro aconteceu a pedido de D. Manuel Clemente, tendo decorrido “num clima de comunhão fraterna e num diálogo transparente sobre os acontecimentos das últimas semanas que marcaram a vida da Igreja em Portugal”.

Após o encontro, o Secretariado Permanente do Conselho Presbiteral e a Comissão Coordenadora do Diaconado Permanente do Patriarcado de Lisboa publicaram notas a manifestar o seu apoio a D. Manuel Clemente.

A 29 de julho, o cardeal-patriarca publicou uma carta aberta para explicar procedimento relativo a um caso de abusos sexuais, denunciado em 1999, reforçando o compromisso de “tolerância zero” para estas situações.

OC

Lisboa: Clero do Patriarcado manifesta apoio a D. Manuel Clemente (atualizada)

Partilhar:
Share