Lisboa, 24 nov 2022 (Ecclesia) – «As piores formas de trabalho infantil» é o tema de uma conferência que se realiza hoje, entre as 09h30 e as 13h00, de forma presencial, auditório da Polícia Judiciária, em Lisboa, e por videoconferência.

A conferência é uma iniciativa da Confederação Nacional de Ação Sobre o Trabalho Infantil (CNASTI), em parceria com o Instituto de Apoio à Criança (IAC), refere uma nota enviada â Agência ECCLESIA.

Uma iniciativa que vai permitir ter “uma noção do que acontece não só em Portugal, mas também no mundo acerca deste tipo de exploração de crianças”, lê-se

Na sessão de abertura vai falar Luís Neves (diretor nacional da Polícia Judiciária), Fátima Pinto (presidente da Comissão Executiva da CNASTI), Mafalda Troncho (diretora da Organização Internacional do Trabalho em Portugal), Rosário Farmhouse (Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens) e Jorge Costa (Secretário de Estado Adjunto e da Justiça).

De seguida, na conferência «As piores formas de trabalho infantil», realiza-se uma mesa redonda com intervenções de «Projeto Agarrados à Net» – Tito de Morais; «Polícia Judiciária» – Carlos Farinha e «OIT» – Albertina Jordão.

LFS

Partilhar:
Share