«Pomos o trabalho nas mãos dos patronos», afirma voluntária no Comité Organizador Local

Lisboa 01 nov 2022 (Ecclesia) – Teresa Varão, voluntária no Comité Organizador Local da (COL) da JMJ Lisboa 2023, afirma que os patronos da Jornada Mundial da Juventude são “exemplo de santidade” e intercessores na preparação do encontro do Papa com jovens.

“Os patronos são exemplo de santidade para todos e, na sede da JMJ, temos vindo a desenvolver um trabalho que é longo, onde contamos com a intercessão dos nossos patronos para nos ajudarem a fazer este caminho para que, em agosto de 2023, esteja tudo preparado para que possamos proporcionar um encontro de todos os peregrinos e voluntários com Cristo”, disse Teresa Varão.

Os patronos da JMJ Lisboa 2023 são S. João Paulo II, S. João Bosco, S. Vicente, Santo António, S. Bartolomeu dos Mártires, S. João de Brito, a beata Joana de Portugal, o beato João Fernandes, a beata Maria Clara do Menino Jesus, o beato Pedro Jorge Frassati, o beato Marcel Callo, a beato Chiara Badano e o beato Carlo Acutis.

“São modelos de santidade muitos diferentes, de todos os tempos, desde o século III até ao século XXI, de todos os cantos do mundo (polacos, portugueses italianos), com todas as vocações (leigos missionários, sacerdotes) e com todas as idades (dos 15 anos até aos 68)”, refere a voluntária da JMJ.

Teresa varão considera que há uma coisa que une os santos patronos da JMJ: “todos procuraram Cristo no quotidiano das suas vidas e procuraram levar Cristo aos outros”.

“Pomos o trabalho nas mãos dos patronos”, afirma, referindo que as várias salas de trabalho no COL têm o nome de um dos patronos e que algumas relíquias presentes no oratório da sede da organização da JMJ “são um sinal vivo da sua presença”.

Foto: Agência ECCLESIA/MC

A biografia dos 13 patronos da JMJ Lisboa 2023 é apresentada num livro publicado conjuntamente pelas Paulinas e pela Paulus, com ilustrações do padre Christopher Sousa.

“A obra surgiu do coração da JMJ porque queríamos apresentar os modelos. Não são apenas santos ou beatos para conhecermos, mas para que sejam modelos para toda a juventude, não só de Portugal, mas do mundo”, afirma o padre Tiago Melo.

Numa entrevista emitida no programa Ecclesia, na RTP2, neste primeiro de novembro, Dia de Todos os Santos, o editor da Paulus afirma que entre os santos patronos estão jovens próximos da atualidade, que mostram que “é possível ser santo”.

“A vocação da JMJ quando nasceu com o Papa João Paulo II foi fazer com que o jovem desperte e use a sua energia para transformar não só a sua vida, mas os que estão ao seu redor”, afirmou.

Para o padre Tiago Melo, Bento XVI desafiou depois cada jovem a “não ter medo de proclamar a fé que professa diante de um mundo indiferente à fé” e o Papa Francisco interpela os jovens ao cuidado da casa comum, da fraternidade universal e da paz entre os povos.

A apresentação dos patronos da JMJ Lisboa 2023 é o tema do programa Ecclesia emitido

HM/PR

Partilhar:
Share