Emissão no espaço «A Fé dos Homens» resulta de uma parceria com a Fundação Ajuda à Igreja que Sofre

Foto: AIS

Lisboa, 04 ago 2021 (Ecclesia) – O programa Ecclesia, em emissão na RTP2 no espaço “A Fé dos Homens”, começa hoje a transmitir cinco documentários sobre a liberdade religiosa no mundo, sempre à quarta-feira, até 1 de setembro, produzidos pela Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS).

“Acaba por mostrar diferenças que existem, mas também como é importante a ajuda da Igreja, e como é que a Igreja apesar da perseguição, das necessidades – temos locais que é de pobreza que estamos a falar – consegue ajudar e estar junto da população e levar um sinal de esperança”, disse à Agência ECCLESIA a diretora do secretariado português da AIS.

Catarina Martins Bettencourt explica que os cinco documentários, realizados na Terra Santa, no Brasil, no Peru, no Uganda e na Nicarágua “têm o objetivo de alertar, de sensibilizar” para a realidade da liberdade religiosa no mundo.

“Muitos destes programas são de situações que não ouvimos com frequência nas nossas televisões, é uma forma de conhecer como a Igreja vive nestes países”, desenvolveu.

Paulo Aido, jornalista da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre, adiantou que o documentário no Brasil se centra na assistência ribeirinha realizada na Amazónia; no Peru foram ao encontro de oito religiosas da Comunidade Jesus, Verbo e Vítima, que costumam dizer que quando acaba a estrada é que começa a sua missão.

Ainda no continente americano, explica o jornalista, a Nicarágua vive conflitos políticos e sociais e a “comunidade cristã está a ser perseguida, mesmo a nível governamental”, uma realidade que vai ser apresentada numa das próximas quartas-feiras, bem como a vida de dois refugiados do Sudão do Sul num campo no Uganda, onde se encontram “300 mil pessoas”.

A diretora do secretariado português da fundação pontifícia recorda que a AIS apoiou “146 países”, em 2020, e primeiro é preciso estarem informados para “depois atuar e agir de acordo com a informação” que vão recolhendo e “divulgando semanalmente”, para além do relatório sobre liberdade religiosa no mundo, que tem “mais profundidade”.

Segundo o jornalista Paulo Aido, nas últimas seis semanas, um padre católico e cinco leigos foram raptados no Mali, foi sequestrada uma religiosa na República Democrática do Congo, cerca de “uma centena de estudantes”, rapazes e raparigas, foram levados de uma escola cristã no norte da Nigéria, para além do rapto de cinco padres e duas religiosas no Haiti.

“O caso mais grave é com os jovens porque terão sido levados para a floresta e podemos estar perante mais um caso de jovens que desaparecem na Nigéria; Esta situação tem sido muito documentada pela fundação, o último relatório de abril fala disso, África é um continente cada vez mais flagelado pelo extremismo islâmico, pelo terrorismo, e a Igreja tem sido um dos alvos”, desenvolveu.

Os dois entrevistados comentam também a perseguição religiosa na República Centro Africana, onde “os grupos terroristas, grupos rebeldes, atuam com a máxima liberdade e espalham o terror”, e o apoio da fundação pontifícia às populações na Síria.

Ao longo de 24 semanas, o tema da liberdade religiosa foi uma marca do programa ECCLESIA, na RTP2, em parceria com a Fundação pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre.

PR/CB

Partilhar:
Share