«Tinha sentido que nas maiores festas da diocese houvesse uma marca JMJ muito óbvia» – Padre Luís Rafael Azevedo

Lamego, 09 set 2022 (Ecclesia) – Os jovens da Diocese de Lamego tiveram uma participação ativa de anúncio e divulgação da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Lisboa 2023 nas festas de Nossa Senhora dos Remédios, que terminaram esta sexta-feira, com alegria, música, e convite.

“Um equilíbrio de vários momentos com marca JMJ. O concerto foi bom para comunicar a mensagem e associar a Jornada Mundial da Juventude com rostos com os quais a juventude se identifica e quis ver. Depois muita alegria e descontração no meio de músicas e momentos lúdicos e diversão, e a firmeza da fé dos jovens”, resumiu o coordenador do Comité Organizador Diocesano (COD) de Lamego, em declarações à Agência ECCLESIA.

O padre Luís Rafael Azevedo salienta que as festas em honra de Nossa Senhora dos Remédios “levaram milhares e milhares de pessoas à cidade”, a quem chegou a mensagem ‘Maria levantou-se e partiu apressadamente’, que o Papa Francisco que escolheu para lema da edição portuguesa da JMJ, e que foi reforçada pelo bispo diocesano nas suas intervenções.

Os jovens de Lamego tiveram diversas formas de presença e participação nas “maiores festas da diocese”, que começaram no dia 25 de agosto e terminam hoje, 9 de setembro, com o “grande objetivo” de divulgar e de apresentar a JMJ Lisboa 2023 “a toda a gente”.

“A mensagem ainda está muito no âmbito eclesial, e mesmo a peregrinação dos símbolos muito intensa, fomos percebendo em julho que ainda não tinha chegado a toda a gente. O grande objetivo era fazer com que toda a gente soubesse o que era o logotipo, que ia acontecer, e que Lamego também estaria implicado, e sensibilizar as pessoas para acolherem peregrinos nas chamadas pré-jornadas, em casa”, desenvolveu o sacerdote.

O também responsável pelo Departamento Diocesano da Pastoral Juvenil de Lamego destacou que o município lamecense queria que tivessem “espaço nas festas para cumprir os objetivos nesta fase da preparação”, e, nesta parceria, realizaram uma “noite celebrativa JMJ”, a 29 de agosto, com um concerto da banda ‘Quatro e Meia’; no início e no fim os jovens da diocese também cantaram, e distribuíram flyers com diversas informações.

“Enchermos a avenida para passar não só uma noite de boa música, mas, acima de tudo, para passar a mensagem da Jornada da Mundial da Juventude, e isso foi conseguido. O grupo trouxe muita gente, principalmente da faixa etária que queremos atingir. A própria banda fez questão de divulgar e durante o concerto passaram muito bem a mensagem sobre as famílias de acolhimento”, recordou.

A ‘Grandiosa Marcha Luminosa’ e a ‘Batalha das Flores’, respetivamente, na noite do dia 6 e na tarde de 7 de setembro, “enchem a cidade” de Lamego, e a mensagem chegou às pessoas do concelho todo, e a muitos concelhos da diocese, “cerca de 10 concelhos estão presentes em massa nesses dias”; os jovens estiveram presentes com carros alegóricos, com o hino JMJ’, a imagem dos logotipos e das bandeiras dos países onde passou a jornada.

“Distribuímos cerca de 10 mil flyers. Não estamos à espera que as pessoas se comprometam amanhã, mas seja uma marca e percebam o que vai acontecer. Se calhar, fica inconscientemente a noção, daqui a uns meses quando forem bater à porta as pessoas já sabem o que é”, desenvolveu.

Foi uma marca muito positiva e os jovens expressaram muita alegria e acho que ninguém ficou indiferente.”

Já o tema da Majestosa Procissão do Triunfo foi ‘Jornada Mundial da Juventude – 2023’, o último momento religioso das festas, e saiu à rua esta quinta-feira, 8 de setembro, com um andor que representou a visitação de Nossa Senhora a sua prima Santa Isabel, outro com o Papa João Paulo II, “algumas frases da oração oficial da JMJ”, e pessoas vestidas como os padroeiros da jornada.

“A ideia é mesmo estar fora de portas e naquilo que está a acontecer na cidade, neste caso as festividades em honra de Nossa dos Remédios”, acrescentou o padre Luís Rafael Azevedo, destacando que, na procissão, levaram também, pela primeira vez, a réplica da cruz peregrina da diocese.

O coordenador do COD de Lamego contextualiza que estas participações decorrem “da ligação e do diálogo” com os “vários municípios da diocese”, que se intensificaram desde o dia 20 de fevereiro, com a cerimónia diocesana na catedral e inauguração de um outdoor (painel publicitário) JMJ no centro da cidade.

“Pouco a pouco vamos sentindo um intensificar do ritmo preparatório, percebemos que já não dá para fazer coisas demasiado pequenas, é preciso pensar mais fora da caixa, tentar o máximo possível envolver os jovens em união uns com os outros, os COPS a trabalharem uns com os outros, e esta parceria de mãos dadas com as várias organizações e instituições. Sentimos este impacto na sociedade, somos muitas vezes abordados sobre isto”, concluiu o padre Luís Rafael Azevedo.

CB/PR

Partilhar:
Share