Escutar, silenciar, tocar, interpretar, aprender foram verbos que se conjugaram com diferentes sons e instrumentos musicais. Entre todos a vontade de contribuir para a música que apelidamos de sacra poder ir mais além em diferentes contextos e sonoridades. Assim se compôs o LabOratório, uma iniciativa que juntou alguns sacerdotes jesuítas e muitos leigos com vontade de acrescentar algo à música e às composições que se escutam em tantas atividades eclesiais.
Nos próximos dias iremos acompanhar esta iniciativa, trazendo-lhe a palavra dos organizadores mas também a experiência dos dias que compuseram este LabOratório: uma experiência de beleza com a música, onde também o silêncio foi importante, conta o padre Rui Fernandes, um dos organizadores do encontro.

Partilhar:
Share