Encontro em Santa Maria da Feira juntou cerca de 250 militantes

A Juventude Operária Católica (JOC) assinalou a 23 de Maio os 75 anos de presença em Portugal, com um encontro nacional em Santa Maria da Feira no qual participaram cerca de 250 pessoas.

A iniciativa incluiu a apresentação de seis das dioceses presentes – Aveiro, Braga, Coimbra, Leiria, Lisboa e Porto –, uma exposição e um percurso a pé alusivos à história do movimento, além de uma tertúlia em que antigos militantes recordaram a sua passagem pela JOC e onde se lançaram perspectivas para o futuro.

Para o presidente da Juventude Operária Católica, Tarcísio Fernandes, este organismo continua a ser relevante por possibilitar a reflexão em grupo sobre as dificuldades do mundo laboral, investindo também na formação dos seus membros, cuja idade varia entre os 13 e os 30 anos.

Entre os principais problemas enfrentados pela juventude, o responsável aponta a dificuldade no acesso ao primeiro emprego, o endividamento (tema de uma campanha nacional da JOC em 2008/9) e a precariedade nos vínculos de trabalho, especialmente devido aos recibos verdes, que além de “não darem regalias”, “tornam difícil aos jovens viverem com alguma certeza no seu dia-a-dia”.

Em entrevista à Agência ECCLESIA, Tarcísio Fernandes referiu-se também à campanha sobre a dignidade dos jovens trabalhadores, lançada pelas JOC da Europa a 1 de Maio, iniciativa que conta com a adesão da delegação portuguesa.

A 13, 14 e 15 de Agosto, a Juventude Operária Católica realiza em Ermesinde a sua assembleia anual, em que vão ser traçados os objectivos para os próximos três anos.

A JOC nasceu na Bélgica em 1925, por iniciativa do Pe. Joseph Cardijn e de um grupo de jovens trabalhadores, tendo chegado a Portugal 10 anos mais tarde.

Partilhar:
Share