Responsável participou na jornada de abertura do ano pastoral na Cova da Iria

Fátima, 26 nov 2022 (Ecclesia) – O presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023 disse hoje que o Santuário de Fátima é a “única instituição” com experiência a lidar com grandes multidões em Portugal, assumindo a importância desse conhecimento para o encontro do próximo ano.

“A única instituição que tem experiência a lidar com grandes multidões é o Santuário de Fátima”, assinalou D. Américo Aguiar, bispo auxiliar de Lisboa, na jornada de apresentação do tema do ano pastoral do Santuário de Fátima, que tem como tema ‘Maria levantou-se e partiu apressadamente’ (Lc 1, 39).

Esta citação bíblica, foi escolhida pelo Papa Francisco como lema da XXXVII Jornada Mundial da Juventude (JMJ), cuja edição internacional vai decorrer pela primeira vez em Portugal, de 01 a 06 de agosto do próximo ano.

O Santuário de Fátima, “ponto central” para os jovens, que vêm participar na JMJ2023, é um santuário “mundialmente conhecido”, frisou o responsável.

D. Américo Aguiar indicou que o Papa Francisco já disse que “quer e quer muito” estar em Fátima.

Na sua intervenção, o responsável explicou também o programa da Jornada Mundial da Juventude que se realiza em Lisboa e anunciou que a temática da sinodalidade “é uma novidade”, porque os jovens vão “ter oportunidade de falar”.

Depois das intervenções vai ser feito “um documento para entregar no Sínodo dos Bispos”, acrescentou.

O presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023 disse que até ao momento já se inscreveram para a Jornada Mundial da Juventude “mais de 200 mil jovens” com “grandes grupos de Itália, Brasil, Espanha, França”.

D. José Ornelas de Carvalho encerrou esta jornada, no Centro Pastoral de Paulo VI, em Fátima.

“Aquilo que ouvimos hoje deixa-me muito satisfeito, é um percurso em que cada um de nós humildemente se insere para ir fazendo caminho”, disse o bispo da Diocese de Leiria-Fátima.

Citado pelo site do Santuário de Fátima, o responsável, que esteve presente na abertura da Exposição Temporária e na apresentação do livro resultante das comemorações do Centenário da ‘Voz da Fátima’, falou da “missão renovada deste Santuário, onde é importante encontrar novas linguagens, compreensões e chaves de leitura”, para acompanhar o mundo e as suas problemáticas.

D. José Ornelas de Carvalho falou da Jornada Mundial da Juventude de 2023, que Lisboa vai receber, destacando que Fátima vai estar ligada ao encontro “porque é importante ter a figura da Mãe”.

“Maria tem de estar bem presente nos percursos de quem está a forjar a sua personalidade”, acrescentou.

O também presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) considerou que a JMJ 2023 vai “ligar Fátima ao mundo”.

“A paz, é tema incontornável em Fátima, sobretudo nos nossos dias, é mandato fundamental para a humanidade, porque temos igual capacidade de fazer o bem e fazer o mal, e a guerra na Ucrânia é prova disso mesmo”, declarou.

No final da Jornada de Abertura do Ano Pastoral, cerca de 100 voluntários renovaram o seu compromisso, numa celebração na Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, presidida pelo padre Carlos Cabecinhas, reitor do Santuário, que manifestou a sua gratidão aos voluntários da instituição.

LFS/OC
Notícia atualizada às 12h30 de 27.11.2022

Partilhar:
Share