Padre Carlos Cabecinhas espera «muitos jovens» na Cova da Iria, durante jornada mundial em Portugal

Cidade do Panamá, 27 jan 2019 (Ecclesia) – O reitor do Santuário de Fátima disse que a organização da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) de 2022 em Lisboa é “uma alegria e uma responsabilidade”, e uma oportunidade para acolher mais jovens na Cova da Iria.

“Para nós é motivo de grande alegria, enquanto membros da Igreja portuguesa, mas também para Fátima as Jornadas Mundiais da Juventude representam uma ocasião que proporciona a muitos jovens a visita a Fátima”, referiu o padre Carlos Cabecinhas.

Num comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA, o reitor do santuário português explicou que para além da “alegria por toda a Igreja portuguesa, sentem “também a enorme responsabilidade para que Fátima saiba acolher e receber os jovens que aí remarem”.

O Vaticano anunciou hoje que a edição internacional da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) em 2022 vai ser acolhida por Portugal, na cidade de Lisboa.

“A próxima Jornada Mundial da Juventude vai decorrer em Portugal”, disse o cardeal Kevin Farrell, prefeito do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida (Santa Sé), na Missa de Envio e encerramento da JMJ 2019 no Panamá, presidida pelo Papa Francisco.

O padre Carlos Cabecinhas está no Panamá, com uma delegação do santuário português, que acompanha a Imagem peregrina número 1 da Virgem de Fátima que participa na JMJ 2019, com um programa próprio.

A imagem já esteve, por exemplo, no Centro Penitenciário Feminino da Cidade do Panamá e, esta segunda-feira, visita um hospital de doentes oncológicos.

CB/OC

Partilhar:
Share