Algarve acolheu Cruz e ícone mariano, que chegaram de barco, após passagem pela Espanha

Peregrinação dos Símbolos JMJ

Lisboa, 29 out 2021 (Ecclesia) – Os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) iniciaram hoje uma peregrinação de dois anos em Portugal, antecipando o encontro internacional promovido pela Igreja Católica que Lisboa recebe de 1 a 6 de agosto de 2023.

Os símbolos foram entregues a jovens de Portugal, na Diocese do Algarve, numa travessia simbólica do rio Guadiana, após terem passado por 44 dioceses espanholas, sendo recebidos em Vila Real de Santo António.

A delegação portuguesa foi liderada pelo presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023, D. Américo Aguiar, e pelo bispo do Algarve, D. Manuel Quintas, acompanhados pelo padre Filipe Diniz, diretor do Departamento Nacional da Pastoral Juvenil (DNPJ) e responsável pela peregrinação dos símbolos em Portugal, para além de outros responsáveis católicos e autárquicos.

A cruz e o ícone de Nossa Senhora foram levados em procissão para a igreja matriz de Vila Real de Santo António, seguindo-se uma vigília de oração, presidida pelo bispo do Algarve.

D. Manuel Quintas saudou os presentes, convidando-os a iniciar uma “peregrinação espiritual”, iluminados pelo simbolismo da cruz de Jesus, desejando que o próximo mês represente um apelo a “crescer em fraternidade”, na diocese.

“A Cruz ganhou as dimensões da largura do Rio Guadiana, uniu as duas margens”, assinalou.

O bispo do Algarve destacou a Agência ECCLESIA a mobilização dos jovens da diocese para este momento de “festa”.

“Estou muito feliz”, confessou.

O padre Filipe Diniz agradeceu a receção “fantástica” numa diocese com ligação ao mar, convidando os jovens católicos a mostrar a sua fé.

“Acreditamos que esta experiência dos símbolos em Portugal vai ser transformadora”, disse.

Em declarações à Agência ECCLESIA, D. Américo Aguiar destacou a importância deste “pontapé de saída” numa peregrinação que ficou condicionada, nos últimos meses, pelo impacto da pandemia.

“Nada melhor do que começar por aqui esta histórias, que queremos que seja de bênção para todas as dioceses”, referiu o bispo auxiliar de Lisboa.

Para o presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023, é preciso recordar que a cruz das Jornadas já esteve em todos os continentes, carregando consigo “muitos olhares, muitos sonhos, muitas lágrimas, muitos sorrisos”, pedindo que os jovens sejam capazes de se “fazerem ouvir”.

D. Américo Aguiar espera que esta peregrinação ajude a “tornar presente na sociedade os sonhos dos jovens, que têm estado algo esquecidos”.

O padre Agostinho Pinto, pároco de Vila Real de Santo António, destacou a responsabilidade que os jovens desta comunidade assumem por serem os “primeiros destinatários” desta peregrinação.

João Costa, delegado diocesano para a JMJ 2023, deixou votos de os símbolos possam chegar a sítios onde sejam capazes de “fazer a diferença”, na Igreja e na sociedade.

Os dois símbolos, confiados pelo Papa São João Paulo II aos jovens de todo o mundo vão estar um mês em cada diocese portuguesa, até julho de 2023.

“Apesar dos condicionalismos provocados pela pandemia, os símbolos da JMJ peregrinaram em Angola, entre os dias 8 de julho e 17 de agosto de 2021; na Polónia, entre os dias 21 de agosto e 1 de setembro; e em Espanha, desde o dia 5 de setembro”, indica o Gabinete de Comunicação da JMJ Lisboa 2023, em comunicado enviado à Agência ECCLESIA.

A Peregrinação dos Símbolos da Jornada Mundial da Juventude é organizada Departamento Nacional da Pastoral Juvenil (DNPJ), um secretariado da Comissão Episcopal Laicado e Família, da Conferência Episcopal Portuguesa.

HM/OC

 

A próxima edição internacional da Jornada Mundial da Juventude vai decorrer em Lisboa, entre 1 e 6 de agosto de 2023, na primeira vez que Portugal acolhe a iniciativa.

O programa vai incluir catequeses e iniciativas culturais na cidade, antes dos encontros conclusivos sob a presidência do Papa, na zona do Parque Tejo, junto ao espaço que acolheu a Expo’98.

As JMJ nasceram por iniciativa do Papa João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude.

As edições internacionais destas jornadas promovidas pela Igreja Católica são um acontecimento religioso e cultural que reúne centenas de milhares de jovens de todo o mundo, durante cerca de uma semana.

A primeira edição aconteceu em 1986, em Roma, e desde então a JMJ já passou pelas seguintes cidades: Buenos Aires (1987), Santiago de Compostela (1989), Czestochowa (1991), Denver (1993), Manila (1995), Paris (1997), Roma (2000), Toronto (2002), Colónia (2005), Sidney (2008), Madrid (2011), Rio de Janeiro (2013), Cracóvia (2016) e Panamá (2019)

.

Espanha: Peregrinação dos símbolos da JMJ termina depois de passar por 44 dioceses, a caminho de Lisboa 2023

 

 

Partilhar:
Share