Oitava etapa da passagem da Cruz Peregrina e o Ícone mariano pelas dioceses portugueses enfrenta desafios logísticos inéditos

Lisboa, 04 jun 2022 (Ecclesia) – Os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) estão a cumprir nos Açores até 29 de junho, a oitava etapa da sua peregrinação pelas dioceses portuguesas, enfrentando desafios logísticos inéditos, para poder unir todas as ilhas do arquipélago.

“Na última semana a Cruz Peregrina e o Ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani começaram a sua peregrinação pela Diocese de Angra, nas ilhas de Santa Maria, Flores e Corvo, e já chegaram à ilha Terceira”, informa a página oficial da JMJ Lisboa 2023.

A nota divulgada online assinala que o Comité Organizador Diocesano (COD) de Angra desde cedo compreendeu o “desafio logístico do transporte” por nove ilhas dispersas ao longo do Atlântico, “algumas bastante distantes entre si”.

Para a equipa do COD de Angra – Filipa, Carolina e João Rebelo e padre Norberto Brum -, a Peregrinação dos Símbolos pelas nove ilhas dos Açores “é a representação da própria Jornada Mundial da Juventude: a união fraterna, onde a distância física é minimizada pelo amor a Cristo”

“O amor move montanhas, mas também une oceanos.” O desejo foi sempre que “os Símbolos fossem a todas as ilhas, para que cheguem a todos os jovens”, refere Carolina Rebelo do COD de Angra.

Os responsáveis sublinham que, graças “à colaboração incansável da Força Aérea, Atlanticoline e Sata foi possível realizar este sonho e transportar os Símbolos inter-ilhas e desde e para o Continente Português”.

Para o transporte, os organizadores estão a contar com a colaboração da Força Aérea, permitindo assim que os Símbolos cheguem também às ilhas mais pequenas; já a viagem dos Símbolos entre as ilhas de São Jorge, Pico e Faial será feita de barco, aproveitando as ligações existentes.

Na primeira semana da peregrinação dos Símbolos, o mau tempo levou ao cancelamento de alguns eventos e a atrasos na passagem entre as ilhas, contratempos “ultrapassados por uma juventude resiliente, que adapta o programa sem desencanto”.

“É esta sede de viver a JMJ Lisboa 2023 que move as equipas de cada Ouvidoria, cujos programas traduzem o entusiasmo com que recebem os Símbolos e se adaptam aos imprevistos.”, destaca o COD de Angra.

A Cruz da Jornada Mundial da Juventude e o Ícone de Nossa Senhora percorrem as dioceses de Portugal até julho de 2023.

A Cruz da JMJ foi entregue pelo Papa João Paulo II aos jovens em abril de 1984 e marcou o início de uma peregrinação da juventude de todo o mundo; em 2000, o mesmo pontífice confiou aos jovens uma cópia do Ícone de Nossa Senhora ‘Maria Salus Populi Romani’.

A cruz de madeira mede 380 cm de altura e pesa 31 kg; os braços medem 175 cm de largura e os painéis em madeira medem 25 cm de largura.

O Ícone de Maria mede 118 cm de altura, tem 79 cm de largura e 5 cm de profundidade, pesando 15 Kg.

OC

Partilhar:
Share