Cruz e o ícone de Nossa Senhora estão a passar por todas as comunidades locais

Lamego, 14 jul 2022 (Ecclesia) – A Diocese de Lamego está a responder ao grande desafio de fazer uma peregrinação dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) “24 sobre 24 horas, assumindo o dia e a noite”.

“Vemos que a JMJ está a fazer ressurgir o dinamismo que, nos últimos anos, se perdeu por diversas razões”, disse o padre Luís Rafael Azevedo, coordenador do Comité Organizador Diocesano (COD) de Lamego, ao site oficial da JMJ Lisboa 2023.

O jovem sacerdote, que também é o responsável pelo Departamento Diocesano da Pastoral Juvenil (DDPJ), explicou que o grande desafio para este acolhimento da Cruz Peregrina e do ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani é “fazer uma peregrinação 24 sobre 24 horas, assumindo o dia e a noite”, lê-se no sítio online da Jornada Mundial da Juventude.

Música, convívio e jogos, momentos de oração e celebração, adoração e vigília, partilhas e testemunhos, têm marcado este itinerário, com a partilha de informações sobre a JMJ.

A peregrinação dos dois símbolos nesta diocese começou no dia 2 de julho, e termina no fim deste mês, com a passagem para Bragança-Miranda, no dia 31, e têm passado por escolas, Juntas de Freguesias e Câmaras Municipais, pelos Bombeiros Voluntários, as Santas Casas da Misericórdia (SCM), lares de idosos e casas de acolhimento, pelos parques e miradouros.

No Miradouro da Boa Vista, em Avões, acompanharam o nascer do sol, e a Zona Pastoral de Resende foi abençoada desde o miradouro de São Cristóvão, foram à piscina de Caldas de Aregos, “tentando ir ao encontro dos jovens neste período de férias”, e ao Centro de Acolhimento Temporário da SCM, em Lamego.

No Centro de Operações Especiais do Exército foram transportados pelos militares, visitaram a Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Lamego, e participaram numa arruada na cidade, com bombos, bandeiras, e a largada de balões biodegradáveis.

A Cruz Peregrina e o ícone mariano visitaram as Irmãs Dominicanas no Mosteiro de Clausura de Nossa Senhora da Eucaristia, o Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, e os reclusos no Estabelecimento Prisional.

O bispo diocesano, D. António Couto, presidiu a uma Eucaristia junto ao Castelo de Lamego, e a Sé recebeu um concerto de apresentação do novo CD do padre Marcos Alvim, e uma oração ao estilo de Taizé.

Na Zona Pastoral de Resende, na comunidade de Paus os jovens levaram o logotipo da JMJ “à casa de alguns idosos que não se podiam deslocar à igreja”, e mais de 500 pessoas participaram na despedida e entrega aos jovens da Zona Pastoral de Cinfães.

Em Tarouca passaram no antigo Mosteiro cisterciense de São João, e no centro desportivo onde jovens atletas, de várias modalidades, conviveram e criaram uma tarde desportiva.

“Foram dois dias de euforia e noites mal dormidas. Nada superou a minha felicidade de estar presente e participar num momento que se diz ser único nas nossas vidas”, recordou a jovem tarouquense Ana Magno.

Na Paróquia de Cambres realizaram uma flashmob [coreografia], na Ucanha uma jovem que fugiu da guerra na Ucrânia partilhou o seu testemunho, a Sociedade Filarmónica de Lalim tocou o hino ‘Há pressa no ar’, em Penajóia os símbolos integraram um cortejo de automóveis, e em Ferreiros de Avões tiveram passadeiras de flores.

“A reação das pessoas tem sido muito comovente. É muito bonito ver o envolvimento de uma paróquia”, destacou a Inês Gonçalves, do COD de Lamego, informa o Comité Organizador Local (COL) da JMJ Lisboa 2023.

Uma das marcas da Diocese de Lamego, no itinerário até à JMJ Lisboa 2023, que se realiza de 1 a 6 de agosto, tem sido a inauguração de outdoors, “colocando a JMJ fora das portas da Igreja”, para que todas as pessoas possam “saber o que vai acontecer e recordar os momentos vividos nestes dias”, destaca o DDPJ.

CB/OC

Lamego: Diocese viveu dia de festa no acolhimento dos símbolos da JMJ

Partilhar:
Share