«Somos uma pequena representação, mas a Igreja inteira está connosco» – D. Pierbattista Pizzaballa

Jerusalém, 29 mar 2021 (Ecclesia) – O patriarca latino de Jerusalém presidiu à Missa de Domingo de Ramos na Basílica do Santo Sepulcro, seguida pela procissão do Monte das Oliveiras, que deu “sinais de normalidade” no início da Semana Santa, apesar da pandemia.

“Teremos uma Semana Santa mais serena do que no ano passado, mesmo que ainda tenhamos números reduzidos. Não esqueçamos também que parte da diocese ainda vive uma situação dramática por causa do coronavírus, como na Palestina e na Jordânia, mas devemo-nos alegrar que em Jerusalém podemos celebrar de maneira quase normal”, disse D. Pierbattista Pizzaballa.

O patriarca latino de Jerusalém destacou que foi importante dar sinais “de confiança na retoma da vida normal”.

No final da procissão, o responsável católico recordou que há um ano não conseguiram “celebrar a procissão solene e festiva de Domingo de Ramos”, dado que as celebrações foram à porta fechada, por causa da pandemia Covid-19.

“Somos uma pequena representação, mas a Igreja inteira está connosco hoje: Há cristãos de várias comunidades da diocese que não puderam encontrar-nos por causa das restrições atuais, e há cristãos de todo o mundo que, mesmo que não tenham conseguido fisicamente, hoje estão a orar connosco, com o coração e a mente voltados para Jerusalém”, desenvolveu.

D. Pierbattista Pizzaballa explicou que na Semana Santa se vão reconstituir os “momentos marcantes da paixão e da morte de Jesus”, somando as “muitas paixões e mortes” de cada um, “as muitas cruzes que pesam sobre os ombros”.

A procissão começou na igreja de Betfagé, no santuário do Monte das Oliveiras, e desceu até Jerusalém, parando no Santuário do Dominus Flevit, uma paragem para rezar pela “cidade sagrada e abençoá-la com a relíquia da cruz”, que também fizeram às portas da cidade.

“Faz parte da missão específica da nossa Igreja de Jerusalém rezar por esta Cidade Santa e preservar a sua vocação de ser casa de oração para todos os povos, onde todos são igualmente cidadãos e onde cada crente nela encontra a sua casa”, explicou D. Pierbattista Pizzaballa, numa intervenção divulgada pelo Patriarcado Latino.

O patriarca acrescentou que a cidade onde “residem as raízes da identidade cristã” representa para cada um “o desejo de reconciliação universal e paz que Deus deseja para toda a família humana”.

O portal ‘Vatican News’ informa que as portas do Santo Sepulcro se abriram para acolher sacerdotes e fiéis para as celebrações do Domingo de Ramos; a campanha maciça de vacinação em Israel permitiu uma reabertura gradual das atividades e as celebrações da Semana Santa são acessíveis aos fiéis e comunidades religiosas da região.

CB/OC

 

Partilhar:
Share