Padre Jam Singh Dindore é acusado de promover a conversão de populações locais ao cristianismo

Lisboa, 14 jan 2022 (Ecclesia) – O padre Jam Singh Dindore, sacerdote católico, foi detido pela polícia no Estado indiano de Madhya Pradesh, ao abrigo da lei anticonversão, acusado de promover a conversão de populações locais ao cristianismo.

A Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) refere que, segundo as autoridades, o padre católico, com outras pessoas, estavam a oferecer tratamento médico gratuito em hospitais da Igreja e ensino escolar aos habitantes locais, que na maioria pertencem às comunidades tribais.

O padre Jam Singh Dindore foi detido, após uma queixa apresentada por um popular, no dia 26 de dezembro.

Na nota enviada hoje à Agência ECCLESIA, o secretariado português da AIS explica que a lei anti conversão está em vigor no Estado de Madhya Pradesh, desde fevereiro de 2021, e já registaram 62 casos até ao dia 15 de dezembro, “pelo menos oito visaram elementos da comunidade cristã”.

A agência de notícias católica ‘Gaudium Press’ divulgou, esta semana, que o ano de 2021 “não foi fácil” para os cristãos na Índia, com 486 incidentes reportados,

Um relatório do ‘Fórum Cristão Unido’ contabiliza 486 incidentes reportados com cristãos na Índia, e a maioria dos “incidentes violentos” está relacionada com “grupos religiosos extremistas”, que decorrem num clima de “impunidade” que promove a perseguição.

“Os extremistas agridem as pessoas antes de entregá-las à polícia, acusando-as de promoverem conversões forçadas”, refere o documento que foi divulgado esta semana pela agência de notícias católica ‘Gaudium Press’.

A fundação pontifícia lembra que o arcebispo emérito de Bhopal, D. Leo Cornelio, escreveu ao primeiro-ministro, Narendra Modi, pedindo medidas eficazes de forma a conter esta onda de violência.

“Certos grupos e indivíduos estão a intensificar uma campanha de ódio contra grupos minoritários e especialmente contra os cristãos. O aumento do fundamentalismo religioso e do ódio são uma ameaça ao crescimento da nação”, alertou o arcebispo,

Segundo a organização internacional Ajuda à Igreja que Sofre, a violência na Índia ganhou uma expressão “cada vez mais preocupante” desde 2014, com a chegada ao poder do partido nacionalista hindu Bharatiya Janata.

CB/OC

Partilhar:
Share