Superiora geral da CONFHIC acompanha o momento “alarmante” que se vive no país, considera que não se pode «culpar ninguém, nem o governo nem o povo», e pede «motivação» para ultrapassar pandemia

EPA/IDREES MOHAMMED

Lisboa, 29 abr 2021 (Ecclesia) – A superiora geral da Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição (CONFHIC), natural da Índia, a acompanhar a situação provocada pela Covid-19, afirma que a “situação rebentou”, mas explica não se poder culpar “nem governo  nem o povo”.

“Há uma falta de assistência médica, mas nem tudo depende do governo. A situação rebentou. Não podemos culpar ninguém, nem o governo nem o povo. Depois de esta fase passada, é necessário é uma forte vontade para ultrapassar este período. Temos de ter paciência, e quando terminar, ter entusiasmo pela vida e recomeçar”, disse a irmã Shirley Ninfa Fernandes à Agência ECCLESIA.

Em Portugal desde 2019, desde a sua eleição como superiora geral da CONFHIC, a religiosa franciscana explica que tem sido difícil acompanhar a situação, porque também em Portugal houve irmãs contaminadas com a Covid-19 e a situação no mundo muda.

“Não se trata exclusivamente da Índia; antes mesmo era o Brasil que nos preocupava porque estava caótico”, recorda.

As notícias mais recentes dão conta de na capital da Índia, Nova Deli, haver quase 26 mil novos casos e 368 mortes nas últimas 24 horas; na última semana os dados do Ministério da Saúde indiano indicam 2,24 milhões de novos casos de Covid-19 e 16257 vítimas mortais no país.

Ao governo-geral, em Oeiras, chegam diariamente “mensagens e telefonemas” a dar conta a situação epidemiológica que afeta as várias Fraternidades no mundo: “Como estamos em todo o mundo estamos sempre a receber informações sobre a situação”.

“Confiamos em Deus. Nesta situação, uma vez que se trata de uma situação médica é impossível fazermos alguma coisa. Dissemos às irmãs e aos colaboradores para terem todo o cuidado para evitar a infeção. Alem disso é impossível fazer mais. Procuramos dar muito aconselhamento e manter a motivação para sair da situação depressiva”, explica.

A Índia superou a marca de 200 mil mortos por covid-19, após registrar mais de 3 mil óbitos em 24 horas pela primeira vez; no total quase 18 milhões de pessoas foram infectadas com o vírus naquele país asiático.

A CONFHIC está presente em quatro continentes, com exceção do australiano, e tem mais de mil religiosas em fraternidades no mundo.

LS

Partilhar:
Share