«Avolumar de incidentes» incluem a vandalização da imagem da Virgem Maria e Bíblias queimadas

Lisboa, 14 fev 2019 (Ecclesia) – A Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (ais) informa que a comunidade cristã na Índia está “angustiada” com ataques contra pessoas e a vandalização de uma imagem da Virgem Maria, um “avolumar de incidentes” que está a preocupar.

Numa nota enviada hoje à Agência ECCLESIA, a AIS exemplifica que três fiéis ficaram “gravemente feridos” depois de alguns cristãos terem sido espancados, durante uma reunião de oração, onde também foram queimadas algumas Bíblias, na semana passada, em Chapar, no Estado de Uttar Pradesh.

“A intolerância em relação aos cristãos está a crescer dramaticamente e a liberdade religiosa está a ser pulverizada por elementos fanáticos”, disse o presidente do Conselho Global de Cristãos Indianos, Sajan George, sobre a situação no Estado que faz fronteira com o Nepal.

A vandalização da imagem da Virgem Maria, numa gruta na Paróquia de São José, está a preocupar a comunidade cristã de Ishgar, Diocese de Jhabua, no Estado de Madhya Pradesh no centro da Índia.

“A estátua foi encontrada queimada, na gruta – a cerca de 10 quilómetros da residência do arcebispo – A comunidade cristã está muito angustiada e sente-se profundamente ferida no seu sentimento religioso”, referiu Sajan George, sobre o caso que aconteceu a 3 de fevereiro.

A Diocese de Jhabua já apresentou queixa às autoridades adiantou o presidente do Conselho Global de Cristãos Indianos alertando que os cristãos “continuam a sofrer a hostilidade de grupos que procuram semear desconfiança e divisão”.

O secretariado português da AIS realça que apesar da constituição indiana assegurar que “ninguém pode ser discriminado por causa da religião”, os cristãos são, frequentemente, “vítimas de ataques e de incidentes graves”.

Recentemente, acrescenta a fundação pontifícia, um pastor protestante foi detido acusado de ser responsável por “conversões forçadas”.

Seis Estados têm leis anti-conversão, dos 29 Estados da União Indiana, e segundo a Fundação Ajuda à Igreja que Sofre os próprios números estatais revelaram um “agravamento da violência religiosa”, em fevereiro de 2018.

No último relatório sobre Liberdade Religiosa no Mundo da AIS constatou que a situação Índia “piorou” e “os ataques contra os cristãos quase duplicaram”, entre junho de 2016 a junho de 2018.

CB

Partilhar:
Share