Organização católica assinala Dia Internacional do Trabalho Digno, que se celebra hoje

Lisboa, 07 out 2015 (Ecclesia) – A Juventude Operária Católica (JOC) associou-se às celebrações do Dia Internacional do Trabalho Digno, que se celebra hoje, e denunciou as tentativas de promover a “resignação” face ao desemprego ou a precariedade laboral.

“Há uma tentativa de que a sociedade olhe para o desemprego com resignação, aceitando-o como algo natural e inevitável, sentimos, também, através do contacto com diferentes jovens e adultos, que o trabalho precário e não digno tende a ser igualmente aceite”, explica a JOC num comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA.

O movimento juvenil católico incentiva à denúncia do “desemprego e trabalho não digno” que são problemas estruturantes da sociedade e “não permitem progredir socialmente”.

“Acreditamos que é prioritário o acesso ao trabalho para todos. Não um trabalho qualquer, mas um trabalho digno, que coloque a pessoa, qualquer pessoa, em primeiro plano de preocupação e cuidado”, desenvolve a organização.

Através destes “testemunhos de coragem”, a JOC convida a “multiplicá-los” e estimula à defesa de oportunidades para realizar um trabalho produtivo com “uma remuneração justa e equitativa”; a higiene e segurança nos locais de trabalho; “a proteção social adequada”.

“Conhecemos muitos jovens, famílias e organizações, e confiamos existirem muitos mais, que assumem este desafio diariamente e defendem, sem se abater pelo desânimo ou pela resignação, o direito a um trabalho que dignifica e não explora”, refere a nota oficial.

A organização juvenil encoraja também os trabalhadores à “liberdade” para expressar preocupações e contributos “para a melhoria das suas condições de trabalho”, assumindo a participação nas decisões que “influenciam as suas vidas e dos seus colegas e familiares”, bem como a igualdade de tratamento entre homens e mulheres.

No Dia Internacional do Trabalho Digno, a Juventude Operária Católica recorda que “viveu e aprofundou” a realidade das pessoas desempregadas e das suas famílias, através da campanha nacional contra o desemprego – ‘Dá emprego aos teus sonhos, Dá trabalho à tua vida’ -, realizada ao longo de 18 meses e que terminou a 25 de julho 2015.

CB/OC

Partilhar:
Share