E considerou-o “figura maior na luta pela afirmação da dignidade da pessoa humana no Portugal contemporâneo”.

Lisboa, 15 Mai 2020 (ECCLESIA) – O Parlamento português homenageou, esta quinta-feira, o Arcebispo emérito de Nampula (Moçambique), D. Manuel Vieira Pinto e considerou-o “figura maior na luta pela afirmação da dignidade da pessoa humana no Portugal contemporâneo”.

Durante a sua vida, o arcebispo emérito de Nampula, falecido a 30 de abril, com 96 anos, no Porto, mostrou “excecionais dotes de lucidez e coragem” e “contestou abertamente a guerra colonial e o colonialismo que a fundamentava, e declarou a sua adesão ao princípio de que todos os povos têm direito à autodeterminação”, lê-se no comunicado enviado à Agência ECCLESIA.

O voto de pesar pela morte de D. Manuel Vieira Pinto foi apresentado pelo presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, e aprovado por unanimidade pelos deputados, na reunião desta quinta-feira.

Natural de Amarante, D. Manuel Vieira Pinto foi nomeado bispo de Nampula em 1967 e na reorganização eclesiástica de Moçambique, com a criação de novas dioceses e com a elevação das dioceses da Beira e de Nampula a arquidioceses, foi nomeado arcebispo de Nampula, a 4 de junho de 1984.

A sua “voz livre e corajosa não mais deixou de se fazer ouvir, fosse em defesa do diálogo intercultural e interreligioso, fosse na promoção dos direitos humanos, fosse na exortação ao reconhecimento do direito do Povo Moçambicano a ser o sujeito político construtor da sua própria história”, refere a nota.

O prelado português resignou a 18 de janeiro de 1998, permanecendo na arquidiocese moçambicana até à sua jubilação no ano 2000, regressando então a Portugal (16 de novembro).

Já na fase final da sua permanência em Moçambique, desenvolveu “vastos esforços para ajudar a que se pusesse termo à guerra civil que assolava o País e se iniciasse um verdadeiro processo de reconciliação nacional”.

Partindo da sua mundividência cristã, D. Manuel Vieira Pinto foi um homem “empenhado na interpretação das contingências sócio-históricas do seu tempo, tendo em vista uma ação transformadora capaz de contribuir para o reforço da dignidade do ser humano”, sublinha o comunicado.

D. Manuel da Silva Vieira Pinto nasceu a 9 de dezembro de 1923, em Aboim, Amarante, na Diocese do Porto; foi ordenado presbítero na catedral da sua diocese por D. Agostinho de Jesus e Sousa, a 7 de agosto de 1949, tendo sido coadjutor da paróquia de Campanhã e assistente de vários organismos da Ação Católica.

LFS

Partilhar:
Share