Foto Agência Ecclesia/PR

Cidade do Vaticano, 17 jun 2020 (Ecclesia) – O Papa Francisco destacou hoje o “peso difícil de carregar” da “distância dos familiares, dos amigos e do país” para as pessoas que vivem do mar que, agora, também têm o “medo do contágio” com o novo coronavírues.

“Saibam  que não estão sozinhos e não são esquecidos. O seu trabalho, o mar, os mantêm distantes com frequência, mas vocês estão presentes nas minhas orações e nos meus pensamentos, assim também como nos dos capelães e voluntários da ‘Stella Maris’”, disse na mensagem em vídeo, divulgada pela Sala de Imprensa da Santa Sé.

O Papa afirma que o trabalho das pessoas do mar, “como marítimos e pescadores”, tornou-se “ainda mais importante para garantir à grande família humana alimento e outros géneros de primeira necessidade”.

“Por isto, nós lhes agradecemos, também porque vocês são uma categoria muito exposta”, acrescentou.

Francisco assinala que, nos últimos meses, a vida e o trabalho das pessoas do mar mudou “notavelmente e enfrentaram, e ainda enfrentam, muitos sacrifícios”, como os “longos períodos afastados a bordo de navios, sem poder pisar na terra”, a “distância dos familiares, dos amigos” e do seu país, para além do “medo do contágio” do novo coronavírus, “elementos são um peso difícil de carregar agora mais do que nunca”.

“Hoje, desejo lhes enviar uma mensagem e uma oração de esperança, uma oração de conforto e de consolação contra qualquer adversidade e, ao mesmo tempo, encorajo todos os que trabalham com vocês na pastoral das pessoas do mar”, explicou.

O Papa lembrou que o Evangelho recorda, “quando fala de Jesus”, que os seus “primeiros discípulos eram todos pescadores”.

Francisco terminou a sua mensagem pedido que “o Senhor abençoe cada um, o seu trabalho e as suas famílias” e que a “Virgem Maria, Estrela-do-mar, os proteja sempre”: “Eu também os abençoo e rezo por vocês. E vocês, por favor, não se esqueçam de rezar por mim. Obrigado!”

Em Portugal, a Igreja Católica desenvolve o seu trabalho pastoral junto dos pescadores e das suas famílias através do Apostolado do Mar.

O sítio online ‘Vatican News’ destaca o “papel significativo na economia global” da atividade marítima que transportam “90% de todos os bens” que são utilizados na vida quotidiana, indicando que se “estima que existem aproximadamente 1 milhão e meio de pessoas que sobrevivem do trabalho no mar”.

CB

Partilhar:
Share