Medalha de D. Nuno Álvares Pereira destaca papel desempenhado pela Igreja Católica

Lisboa, 29 jun 2020 – O bispo das Forças Armadas e das Forças de Segurança, D. Rui Valério, recebeu a mais alta condecoração da Guarda Nacional Republicana (GNR), vendo neste gesto “o reconhecimento positivo ao papel da Igreja” neste período da pandemia.

A atribuição da medalha de D. Nuno Álvares Pereira, 1.ª Classe, é “acima de tudo uma condecoração à Igreja e ao papel dos capelães militares” na ajuda ao combate da pandemia do COVID-19, disse hoje o responsável à Agência ECCLESIA.

A Igreja “é vista como uma força muito próxima e assídua das pessoas”, como foi possível ver no “apoio que os capelães deram aos militares da GNR e suas famílias” no período de confinamento.

Para ajudar no combate à pandemia que assola o país, os capelães militares fizeram “uma recolha de fundos para a aquisição de máscaras”, exemplificou.

O bispo das Forças Armadas e das Forças de Segurança agradeceu a distinção e disse que “não poderia sentir-se mais honrado por ser atribuída por quem a atribuía” e pela “designação que tem D. Nuno Álvares Pereira, figura de homem, de militar e de crente, que sempre admirou”.

D. Rui Valério foi condecorado pelo comandante geral da GNR, tenente-general Luis Botelho Miguel, na última sexta-feira, em Lisboa.

Segundo comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA, pela GNR, na cerimónia foi, também condecorado, com o mesmo galardão, o chefe do Estado-maior-general das Forças Armadas, almirante Silva Ribeiro.

A medalha privativa da GNR, ‘Medalha de D. Nuno Álvares Pereira – Mérito da Guarda Nacional Republicana’, destina-se a galardoar os militares e civis, nacionais ou estrangeiros que, no âmbito técnico-profissional, “revelem elevada competência, extraordinário desempenho e relevantes qualidades pessoais, contribuindo significativamente para a eficiência, prestígio e cumprimento da missão da Guarda Nacional Republicana”.

LFS/OC

Partilhar:
Share