Diretora do Instituto de Bioética da UCP aponta a exigência da verdadeira solidariedade, a exemplo de Santo António

Foto: Lusa

Porto, 11 jun 2020 (Ecclesia) – A Diretora do Instituto de Bioética, da Universidade Católica Portuguesa, Ana Sofia Carvalho, admite que neste tempo de pandemia a vida terá de mudar para que o Mundo possa ter “verdadeira paz” e a “exigência da solidariedade” ao exemplo de Santo António. 

“É preciso que cada um entenda que as circunstâncias da vida terão de mudar, que para termos o Mundo onde a convivência possa ser saudável e articulada, na verdadeira paz, é obrigatório que cada um faça a sua conversão interior, a sua vida só tem valor se assegurar o valor da vida dos outros”, disse à Agência ECCLESIA. 

A docente universitária aponta o exemplo de Santo António para aprender a “noção de solidariedade” que vai ser exigida a cada um, neste tempo em que será mais “exigente do que dar esmola”.

“Vai exigir despir de bens que dávamos por adquiridos para que sejam partilhados com outros, esta noção de partilha é muito da dimensão da partilha de Santo António, noção de solidariedade tão exigente é uma noção, um ensinamento que teremos de ir buscar aos grandes, aos que souberam despir-se para ajudar o próximo”, revela.

Ana Sofia Carvalho, uma das intervenientes do painel “Dom frágil da vida”, integrado no ciclo “Diálogos com António”, salientou que este tempo de pandemia numa primeira fase colocou a “fragilidade da vida nas questões de saúde” mas agora surgem outros contornos. 

A crise vai continuando, muda de rosto e de dimensão, deixamos de ter crise em que a vida em si esta ameaçada para termos as vidas ameaçadas por um tsunami económico e de desemprego e outras dificuldades que se avizinham”. 

O desemprego é uma das ameaças que Ana Sofia Carvalho refere bem como a consequente falta de “alimentação” e a “exponenciada pobreza”. 

“Mais uma vez é preciso que quem governa, quem vai ter responsabilidade de distribuir esses bens escassos, perceba que é preciso critérios éticos, justos e permitam uma distribuição de recursos, salvando o maior número de vidas possível, vai ser um desafio muito complexo”, assume.

A entrevista sobre “O Dom frágil da Vida” pode ser escutada no programa de rádio Ecclesia, na Antena 1, esta quinta-feira, pelas 22h45, ficando depois disponível online.

SN

Partilhar:
Share