Doutoranda em Ciências da Sustentabilidade está a abraçar «grande desafio» com «muita fé e coragem»

Lisboa, 10 mar 2020 (Ecclesia) – Joana Morgado afirma que a proposta do Papa Francisco ao convocar o encontro mundial ‘Economia de Francisco’, marcada para 21 de novembro, é “um grande desafio”, onde “a pessoa é central”.

“A pessoa é central em toda esta ‘Economia de Francisco’, por que o propósito para a vida, o que é que eu faço aqui neste mundo, qual é a minha missão, é decisivo e deve ser central também”, disse, entrevista à Agência ECCLESIA transmitida hoje na RTP2.

O Papa Francisco convocou “jovens economistas, empresários e empresárias de todo o mundo” para o refletirem sobre uma economia que “faz viver e não mata, inclui e não exclui, humaniza e não desumaniza, cuida a criação e não a despreza”, na cidade italiana de Assis.

“É um grande desafio toda esta proposta que o Papa Francisco nos fez. Estou a abraçá-la com muita fé e coragem também”, revelou a entrevistada doutoranda em Ciências da Sustentabilidade.

Sobre a inversão de prioridades na forma como a economia funciona para colocar a pessoa no centro, Joana Morgado exemplifica que uma empresa “é construída pelo seu chefe, mas todos os que colaboram e trabalham” para ela e, “no fundo, é criar uma nova relação”.

“Se eu não descubro onde é que eu sou extraordinário e a empresa não me deixa criar estou a limitar: Tenho também enquanto trabalhador mostrar ao meu chefe, à própria empresa, que estou motivado, que o acompanho”, desenvolveu.

O encontro ‘Economia de Francisco’ estava previsto para o final de março (de 26 a 28), mas a organização já adiou esta iniciativa papal para 21 de novembro, devido ao impacto da epidemia do coronavírus COVID-19, que tornou impossível a reunião de mais de dois mil jovens com menos de 35 anos, provenientes de 115 países, incluindo Portugal.

Joana Morgado é uma das participantes lusas e está também a frequentar uma formação promovida pela Associação Cristã de Empresários e Gestores de Portugal (ACEGE).

“O curso de preparação deu-nos todo um suporte e apoio indiscutível, que nos tem ajudado a caminhar, e é muito importante por que ninguém tem resposta. Estamos a construir, a ouvir, a elaborar caminhos, a pôr as várias ideias em cima da mesa”, desenvolveu.

A jovem doutoranda em Ciências da Sustentabilidade acrescenta que “ninguém vai para um desafio destes a pensar que não sabe nada”, cada participante tem as suas experiências e formações, mas “todo esse caminho tem ajudado a preencher, a perceber” um “livro em branco”.

A ‘Economia de Francisco’ está a ser organizada pela Diocese de Assis, pelo Instituto Seráfico, pelo Município de Assis e pela Economia de Comunhão, em colaboração com as famílias Franciscanas e o Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral da Santa Sé; E todas as terças-feiras tem estado em destaque no programa ECCLESIA, na RTP2, pelas 15h00.

HM/CB

Partilhar:
Share