Estar na vanguarda na investigação e cuidar a assistência são marcas do Hospital Pediátrico «Bambino Gesú»

Cidade do Vaticano, 16 nov 2019 (Ecclesia) – O Papa Francisco recebeu hoje em audiência a comunidade do Hospital Pediátrico ‘Bambino Gesú’ e afirmou que essa “extraordinária obra de caridade da Igreja” deve continuar a investir na investigação para conseguir cuidar melhor das crianças.

“Assistência e investigação são as pedras angulares da atividade do hospital”, disse o Papa no discurso aos participantes na audiência, que enchiam por completo a Aula Paulo VI, no Vaticano.

Francisco lembrou que Hospital Pediátrico ‘Bambino Gesú’ está já voltado para o futuro com “resultados importantes no campo do diagnóstico de doenças raras e da cura de patologias complexas, com o desenvolvimento de terapias de precisão”.

“Admiro a paixão e o entusiasmo que colocais no vosso trabalho de cura e de pesquisa”, afirmou.

O Papa sublinhou que “quando melhor é a investigação, melhor é a assistência”., acrescentando que “não há cura sem investigação” e “não há futuro na medicina sem investigação”.

“As exigências da investigação científica e da crescente procura da assistência, também do exterior, tornam necessário investimentos nos próximos anos nas estruturas e nas tecnologias. Trata-se de um equilíbrio difícil, mas é importante que estejam garantidas a sustentabilidade e a eficiência, para que o Hospital continue a ser uma extraordinária obra de caridade da Igreja”, disse Francisco.

O Hospital Pediátrico ‘Bambino Gesú’, que está a celebrar 150 anos de fundação, foi uma intuição de uma “senhora e de uma mãe de grande inteligência, cultura e fé”, Arabella Salviat, que foi oferecido ao Papa num gesto de “grande sensibilidade em favor das crianças de todo o mundo”, transformando-se assim “património não só da comunidade romana, mas da italiana e internacional”.

“Nasceu assim uma realidade grande e preciosa, de vanguarda e projetada ainda hoje para o futuro”, disse o Papa.

Francisco agradeceu aos colaboradores da comunidade hospitalar a investigação e assistência às crianças de Roma, Itália e também do exterior, lembrando que “mais do que uma vez por semana aterra no heliporto do Vaticano um helicóptero com uma criança para o ‘Bambino Gesú’”.

“Vós, médicos, cirurgiões, enfermeiros usais as mãos como instrumentos de cura. Estai sempre certos desta bênção de Deus sobre as vossas mãos. A vossa capacidade de curar é um dom para vós e para as pessoas que estão ao vosso cuidado”, concluiu o Papa.

PR

Partilhar:
Share