Responsáveis portugueses sublinham oportunidade de aprendizagem e de promoção do encontro em Lisboa

Foto: Agência ECCLESIA/OC

Santiago de Compostela, Espanha, 07 ago 2022 (Ecclesia) – A Peregrinação Europeia de Jovens (PEJ), que se encerra hoje na cidade espanhola de Santiago de Compostela, foi vivida pela delegação portuguesa como um teste para a JMJ 2023, em Lisboa.

“Temos feito um esforço suplementar para não repetir erros, é muito importante sermos humildes e não cometermos os erros que aconteceram”, disse à Agência ECCLESIA o presidente da Fundação Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Lisboa 2023, D. Américo Aguiar.

O responsável adiantou que as equipas da Jornada portuguesa estão a acompanhar a PEJ para “aprender tudo o que seja importante” para o sucesso do encontro mundial no próximo ano.

“Estamos a testar em direto, com 12 mil jovens da Europa, muitas coisas que depois, à escala de centenas de milhares, podem correr ainda melhor, certamente”, apontou.

O bispo auxiliar falou de uma “rampa de lançamento”, uma “mini-JMJ” que decorre já sem as limitações dos últimos anos, por causa da pandemia de Covid-19.

“Queremos que os jovens sejam os protagonistas, que os seus sonhos, os seus gritos, as suas ansiedades se façam ouvir neste caminho até à JMJ 2023”, acrescentou.

D. Américo Aguiar aponta a um “acontecimento único” para a juventude, que se viu confinada nos últimos anos, e desvalorizou as recentes discussões sobre o papel de autarquias e do Governo português neste evento.

“Tudo o que é dito, o que é chamada de atenção, tem sido escrutinado e levado a sério, quer pela organização por parte da Igreja, quer pelas Câmaras de Lisboa e de Loures, quer pelo Governo de Portugal e a Presidência da República. Por todos os que estão envolvidos, não poderia ser de outra forma”, realçou.

D. Joaquim Mendes, presidente da Comissão Episcopal do Laicado e Família (CELF) e coordenador para área pastoral da JMJ 2023, assumiu a importância de “motivar e envolver na preparação” o maior número de pessoas.

O responsável elogiou os percursos de formação propostos em Portugal, para jovens e adolescentes, que vão conhecer novos desenvolvimentos, que visam a “formação da identidade cristã”.

O bispo auxiliar de Lisboa entende que este percurso acontece num momento “privilegiado”, em que as comunidades católicas são chamadas a implementar as propostas do Sínodo dedicado aos jovens, em 2018.

O objetivo é criar comunidades “mais acolhedoras e acompanhadoras” das novas gerações.

Para setembro, está marcada uma formação sobre a ‘Pastoral Juvenil Sinodal’, que vai abordar temas ligados ao acompanhamento dos jovens, da natureza ao desporto, passando pela dimensão comunitária, a partir de experiências bem-sucedidas noutros países.

“Não podemos parar, creio que esta Jornada vai ser um acontecimento muito, muito forte. E estas experiência animam, reativam a vontade de viver em comunidade”, declarou.

D. Joaquim Mendes orientou a catequese para o grupo português que se reuniu, este sábado, em Santiago, abordando temas ligados à fraternidade e amizade social.

A Peregrinação Europeia de Jovens, que decorre desde quarta-feira, inclui momentos de oração, concertos, encontros temáticos e propostas culturais, em toda a cidade de Santiago.

A Missa final da PEJ 2022 celebra-se este domingo, sob a presidência de D. António Marto.

Segundo a organização, marcam presença 55 bispos de Espanha, Itália e Portugal, 370 sacerdotes e 400 consagrados.

A delegação portuguesa, com cerca de 250 participantes, chegou de oito dioceses e três movimentos juvenis.

A Cruz da JMJ e o Ícone mariano que a acompanha estão, por estes dias, em Santiago de Compostela, numa etapa especial da atual peregrinação pelas dioceses portuguesas, rumo ao encontro internacional de Lisboa (1 a 6 de agosto de 2023).

Foto: Agência ECCLESIA/OC

O padre Filipe Diniz, diretor do Departamento Nacional da Pastoral Juvenil (DNPJ), referiu à Agência ECCLESIA que esta presença ajudou a “chamar” jovens de outros países para a próxima JMJ.

“Houve várias iniciativas com as bandeiras da Jornada, lançamos desafios de fotos, vídeos, para os canais de informação da JMJ. Muitos conhecem-na, quem não conhece ficam com vontade de ir e acabou por ser uma presença significativa”, explicou.

A Peregrinação Europeia de Jovens decorre no contexto do Xacobeo, o Ano Santo, que foi prorrogado até final de 2022, pelo Papa Francisco, por causa da pandemia de Covid-19.

OC

A PSP esteve em Santiago de Compostela, Espanha, a observar o trabalho da Polícia Nacional Espanhola na Peregrinação Europeia de Jovens para, posteriormente, o replicar na JMJ 2023, em Lisboa.

“Foi uma espécie de missão de observação”, disse à Lusa o diretor do Departamento de Operações da PSP, Pedro Moura.

O objetivo desta deslocação, que aconteceu na terça e quarta-feira, passou por perceber quais as dinâmicas, planeamento, policiamento e mecanismos de coordenação que os homólogos espanhóis adotaram na PEJ 2022, cujo modelo é igual ao da JMJ 2023, embora noutra escala, referiu.

 

Partilhar:
Share