Marcelo Rebelo de Sousa recorda «voz ponderada e experiente» do arcebispo emérito de Évora

Foto: Arquidiocese de Évora

Lisboa, 19 mar 2019 (Ecclesia) – O presidente da República Portuguesa lamentou hoje o falecimento de D. Maurílio de Gouveia, arcebispo emérito de Évora, que morreu na Madeira, sua terra natal, aos 86 anos de idade.

“Exprimo as minhas sinceras condolências à sua Família, à Igreja portuguesa e, muito em particular, aos que tiveram o privilégio de o conhecer”, assinala uma nota divulgada pela Presidência da República.

Marcelo Rebelo de Sousa evoca o antigo arcebispo de Évora como uma “voz ponderada e experiente”, recordando “a sua inteligência discreta mas penetrante”.

A presença de D. Maurílio fez-se sentir na sociedade portuguesa em alguns momentos decisivos da sua História recente, trazendo-lhe a marca de uma religiosidade profunda e amadurecida, de um conhecimento solidário e próximo de todos quantos buscam na mensagem evangélica uma fonte de apoio moral e espiritual”.

O presidente da República recorda a ligação do falecido arcebispo à Madeira, onde nasceu em 1931, afirmando que D. Maurílio de Gouveia manteve “ao longo da sua trajetória de vida e do seu percurso espiritual, uma ligação profunda a essas raízes, à fé do povo madeirense que o acompanhou e por certo o iluminou em várias circunstâncias da sua existência”.

“Nesta hora de dor para a Igreja portuguesa, a esperança e a fé são lenitivos que devem consolar os portugueses que sentem a ausência da personalidade de D. Maurílio de Gouveia e do seu modelar exemplo de vida”, conclui Marcelo Rebelo de Sousa.

Maurílio Jorge Quintal de Gouveia, filho de Aires Romão Freitas Gouveia e de Matilde Maria Quintal de Gouveia, nasceu a 5 de agosto de 1932 em Santa Luzia, no Funchal; cumpriu a sua etapa vocacional no Seminário Diocesano do Funchal e foi ordenado sacerdote a 4 de junho de 1955.

Aos 22 anos seguiu para Roma, para prosseguir os seus estudos, e formou-se em Teologia Dogmática na Pontifícia Universidade Gregoriana, tendo tirado também uma pós-graduação em Teologia Pastoral, na Pontifícia Universidade Lateranense.

A 26 de novembro de 1973, aos 41 anos, D. Maurílio de Gouveia recebeu a sua nomeação episcopal, como bispo titular de Sabiona e bispo auxiliar de Lisboa, através do Papa Paulo VI; a 21 de maio de 1978, foi nomeado arcebispo titular de Mitilene, e a 17 de outubro de 1981, aos 49 anos de idade, como arcebispo de Évora.

A tomada de posse como arcebispo de Évora aconteceria três meses mais tarde, a 8 de dezembro de 1981, no dia da festa da Imaculada Conceição da Virgem Santa Maria, padroeira principal de Portugal e da Arquidiocese de Évora.

Em 2007, por ter atingido os 75 anos, idade limite para o desempenho da missão episcopal, segundo a lei canónica, D. Maurílio de Gouveia apresentou ao então Papa Bento XVI a sua resignação ao cargo de arcebispo de Évora, sendo sucedido por D. José Alves em 2008.

OC

Partilhar:
Share