Movimento católico associa-se «à dor» pelo falecimento do bispo de Viana do Castelo

Lisboa, 23 set 2020 (Ecclesia) – O Corpo Nacional de Escutas (CNE), escutismo católico, decretou luto nacional por um período de sete dias, associando-se “à dor pelo falecimento de D. Anacleto Oliveira”, bispo de Viana de Castelo, que faleceu na última sexta-feira.

“O CNE associa-se a quantos partilham a dor pela inesperada e trágica partida do Sr. D. Anacleto Oliveira para o acampamento eterno”, refere o chefe nacional do CNE, Ivo Faria, num comunicado enviado esta terça-feira à Agência ECCLESIA.

O Corpo Nacional de Escutas reconhece “o imenso cuidado” de D. Anacleto Oliveira pela “sua missão eclesial e social” de acompanhar crianças e jovens “no seu crescimento integral e são “testemunhas do seu apreço” por todos os dirigentes do movimento e “a sua insistência na necessária formação humana, cristã e escutista”.

“Queremos, nesta hora de luto, agradecer a sua vida e muito particularmente o seu ministério episcopal, primeiro como bispo auxiliar no Patriarcado de Lisboa e os dez anos como pastor da Diocese de Viana do Castelo. Que o Senhor lhe conceda a paz e que na luz de Deus continue a ser para nós fonte de inspiração e bênção”, acrescenta o CNE.

O chefe regional de Viana do Castelo, Manuel Vitorino, destacou a proximidade e estima que D. Anacleto Oliveira tinha pelo escutismo e lembra uma “uma dívida de gratidão”.

“Pela elevada estima, consideração e amizade que sempre manifestou pelo Corpo Nacional de Escutas, patente na sua presença assídua nas nossas atividades – locais e regionais -, no reconhecimento do papel inestimável do CNE, na sociedade e na Igreja, na formação integral de crianças e jovens, no seu apreço e incentivo permanente à qualificação dos nossos dirigentes através da necessária formação humana, cristã e escutista”, indicou.

Esta quarta-feira, os restos mortais de D. Anacleto Oliveira estão em câmara ardente na Catedral de Leiria; às 15h00 o cardeal D. António Marto preside à Missa Exequial e a sepultura será no cemitério das Cortes, terra natal do falecido bispo.

A Diocese de Viana do Castelo viveu esta terça-feira o “último adeus” ao seu bispo numa celebração na Sé; D. Anacleto Oliveira faleceu na última sexta-feira, aos 74 anos de idade, na sequência de um despiste de automóvel, na Autoestrada 2 (A2) perto de Almodôvar, era o único ocupante da viatura.

CB/OC

Partilhar:
Share