Eugénio Fonseca  recorda um “homem que se dedicou com ternura e inteligência ao povo que serviu”

Lisboa, 19 set 2020 (Ecclesia) – O presidente da Cáritas Portuguesa, Eugénio Fonseca, lamenta o “falecimento trágico” de D. Anacleto Oliveira, “um homem que se dedicou com ternura e inteligência ao povo que serviu”. 

“Deixa as marcas de um homem que se dedicou com ternura e inteligência ao povo que serviu na Igreja Diocesana de Viana do Castelo, mas também no Patriarcado de Lisboa, onde foi bispo auxiliar e na Diocese de Leiria-Fátima em que desempenhou a missão de presbítero”, pode ler-se na nota enviada hoje à Agência ECCLESIA.

Eugénio Fonseca fala da “grande tristeza e dor” com que a Cáritas Portuguesa recebeu a notícia do “falecimento inesperado e trágico de D. Anacleto Oliveira “ e expressa o “louvor pelo dom da sua vida”.

“Expressamos o nosso louvor pelo dom da sua vida, marcada pela afabilidade e pela dedicação ao estudo, proclamação e esforço por testemunhar a Palavra de Deus”, refere.

SN

Partilhar:
Share