Padre Adriano Pereira diz que falecido «está presente com muita frequência» na vida da comunidade católica

Foto: Estátua de D. António Francisco dos Santos em Tendais (Cinfães)
Créditos: Agência ECCLESIA/PR

Cinfães, 11 set 2020 (Ecclesia) – O pároco de Santa Cristina de Tendais (Cinfães), na Diocese de Lamego, disse que a figura do bispo D. António Francisco dos Santos, falecido há três anos, “está presente com muita frequência” em diversos momentos da comunidade local.

“Como um testemunho vivo, continua a ser marcante a nível da comunidade paroquial. Com alguma frequência, são evocados, são relidos, são revistados textos – a propósito da catequese, na liturgia, dos ministros da comunhão -, para nos ajudar no tempo de hoje a prosseguirmos o nosso caminho como Igreja”, referiu à Agência ECCLESIA o padre Adriano Pereira.

Natural de Tendais, D. António Francisco dos Santos faleceu a 11 de setembro de 2017, na Casa Episcopal da Diocese do Porto, aos 69 anos, devido a uma complicação cardíaca.

O padre Adriano Pereira explica que o bispo “está presente com muita frequência” a nível paroquial, porque muitos tiveram “o privilégio de conviver com ele” e há expressões que “continuam muito vivas”.

O sacerdote lembra frases como “que a alegria do Evangelho seja a nossa missão”, falando numa “mensagem fortíssima para estes tempos de nova evangelização”.

O pároco de Santa Cristina de Tendais considera D. António Francisco dos Santos “profundamente inspirador” e “esteve sempre muito perto” em todas as iniciativas “no âmbito eclesial e mesmo social” da comunidade.

Neste contexto, o sacerdote assinala que querem fazer da casa que era de D. António Francisco dos Santos em Mourelos, que deixou à paróquia, “uma pequena casa-museu que o evoque”, para além da criação de uma fundação com o seu nome.

“O objetivo da fundação é tornar vivo o seu testemunho, a sua missão, e ajudar as novas gerações também a descobrir e dar suporte efetivo ao trabalho que ele realizou e à missão que ele desenvolveu e sobretudo como pode inspirar-nos e guiar-nos que é isso que agora pretendemos, nos tempos de hoje”, desenvolveu.

Segundo o padre Adriano Pereira, houve um “conjunto de limitações em termos temporais, a situação pandémica também afetou,” os projetos mas “o entusiasmo, a motivação, é a mesma” e “há uma grande mobilização por parte das pessoas nesse sentido”.

“A autarquia, a junta de freguesia, estão na primeira linha para colaborarem, inclusive há propostas de mesmo em Cinfães possam apoiar o trabalho da fundação, porque a casa é muito pequena”, acrescentou.

Em Tendais, existe um ‘monumento de ação de graças pela vida e missão de D. António Francisco dos Santos’ que hoje vai estar enfeitado com margaridas brancas e amarelas, e é constituído por uma estátua em bronze, com dois metros e 20 de altura.

CB/OC

Esta sexta-feira, no terceiro aniversário do falecimento de D. António Francisco dos Santos, tem lugar na Catedral uma Eucaristia de sufrágio pelos bispos, presbíteros e diáconos que foram da Diocese do Porto.

Uma celebração presidida por D. Manuel Linda, bispo do Porto, pelas 19h00.

 

Igreja: D. António Francisco dos Santos recordado como «um santo na terra»

 

 

Partilhar:
Share