Francisco vai presidir à celebração na Basílica no «Domingo da Palavra» 2022

Foto Vatican News

Cidade do Vaticano, 18 jan 2022 (Ecclesia) – O Papa Francisco vai instituir leigos e leigas, de diferentes regiões do mundo, nos ministérios de leitor e acólito, na celebração do III Domingo da Palavra, dia 23 de janeiro, na Basílica de São Pedro, no Vaticano.

Num comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA, o Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização (Santa Sé) assinala que, “pela primeira vez”, os ministérios de Leitor e de Acólito vão ser instituídos a leigos, homens e mulheres, através de um rito próprio, preparado pela Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos.

O Papa estabeleceu que as mulheres tenham acesso aos ministérios de Leitor e Acólito com o motu proprio ‘Spiritus Domini’ que foi publicado a 11 de janeiro de 2021, e modifica o primeiro parágrafo do cânone 230 do Código de Direito Canónico.

Nesse documento e na carta para o prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, Francisco estabeleceu que os ministérios do Leitorado e do Acólito são abertos a leigos e leigos, “de forma estável e institucionalizada com mandato específico”, que nesta celebração se vai realizar e concretizar através de “um ato litúrgico”.

Na celebração deste domingo, presidida pelo Papa na Basílica de São Pedro, os candidatos vão ser chamados pelo nome e apresentados à Igreja, antes da homilia.

Depois da reflexão, a quem vai ser instituído no ministério de leitor recebe uma Bíblia, e aos catequistas é entregue uma cruz, reprodução da cruz pastoral usada por São Paulo VI e São João Paulo II, para “recordar o caráter missionário do serviço que se preparam para administrar”.

O Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização informa que vão receber o ministério de leitor, “em representação do Povo de Deus”, pessoas da Coreia do Sul, Paquistão, Gana, e de várias regiões da Itália.

No ministério de catequista vão ser instituídos dois leigos do Vicariato Apostólico de Yurimaguas (Peru), na Amazónia, dois fiéis do Brasil, uma mulher de Kumasi, no Gana, o presidente do Centro de Oratórios Romanos, fundado pelo catequista Arnaldo Canepa, e um leigo e uma leiga de Łódź (Polónia) e Madrid (Espanha), respetivamente.

O comunicado refere ainda a ausência de dois fiéis da República Democrática do Congo e do Uganda, por causa das restrições sanitárias da pandemia Covid-19, que afetam as viagens.

A celebração vai realizar-se no Domingo da Palavra de Deus, que o Papa instituiu no terceiro Domingo do Tempo Comum, quando a Igreja celebra a memória litúrgica de São Jerónimo, com a Carta Apostólica sob forma de Motu Proprio ‘Aperuit illis’, a 30 setembro 2019.

O Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização adianta também que Francisco vai oferecer aos presentes, a celebração está limitada a duas mil pessoas, um livro com um comentário dos Padres da Igreja sobre capítulos 4 e 5 do Evangelho de Lucas, publicado pela Edições San Paolo.

CB

 

Partilhar:
Share