«Salvou-nos!», disse jovem congolês

Foto: Vatican Media

Cidade do Vaticano, 17 dez 2021 (Ecclesia) – O Papa recebeu hoje no Vaticano um grupo de refugiados e migrantes acolhidos na Itália, com o apoio da Santa Sé, num gesto humanitário que foi anunciado durante a viagem de Francisco ao Chipre, a 3 de dezembro.

A audiência aconteceu no dia do 85.º aniversário Jorge Mario Bergoglio, nascido em Buenos Aires.

Cerca de uma dezena de migrantes chegaram esta quinta-feira à Itália, graças à iniciativa do Papa, numa organização da comunidade católica de Santo Egídio, com a ajuda de autoridades italianas e cipriotas.

O portal ‘Vatican News’ assinala que o objetivo é “realocar cerca de 50 pessoas, incluindo mulheres solteiras com os seus filhos”.

O diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Matteo Bruni, refere em nota enviada hoje aos jornalistas que o grupo será apoiado diretamente pelo Santo Padre, enquanto a Comunidade de Santo Egídio tratará da sua inclusão, num programa de integração de um ano”.

O Papa deu as boas-vindas e ouviu as histórias dos refugiados do Congo-Brazzaville, República Democrática do Congo, Camarões, Somália e Síria; alguns deles são médicos e técnicos de informática.

“‘Salvou-nos!’, disse, emocionado, um jovem congolês”, relata Bruni.

O Papa deixou, a cada um dos presentes, “palavras de boas-vindas e afeto, agradecendo a visita”.

Os migrantes e refugiados desejaram a Francisco “vida longa e boa saúde”, oferecendo-lhe como presente o quadro de um refugiado afegão, que retrata a tentativa de cruzar o Mediterrâneo.

O Papa perguntou sobre a situação de uma menina que conheceu no campo de Mavrouni, em Lesbos (Grécia) e que irá à Itália nos próximos dias, com a sua família, para receber tratamentos médicos.

Em 2016, quando visitou a ilha grega, Francisco levou consigo para Roma 12 pessoas – três famílias de refugiados sírios – de um centro de refugiados.

OC

Notícia atualizada às 12h51

Partilhar:
Share