Sacerdote de 62 anos, que há mais de 20 anos mantém presença na Internet, afirma que este é também um campo de pastoral da Igreja

Águeda, 04 mai 2020 (Ecclesia) – O padre Júlio Grangeia, sacerdote de 62 anos da Diocese de Aveiro, gostaria de ver maior “interatividade” por parte da Igreja no uso das novas tecnologias.

“Se vou transmitir em direto, a televisão também o faz e com melhor qualidade de imagem; mas se eu quero tirar todo o partido do que a Internet me oferece, eu tenho de promover a interatividade com as pessoas, mesmo que tenha de adaptar um pouco a Eucaristia a esse fator”, explica à Agência ECCLESIA o sacerdote que desde 1997 tem uma página na Internet.

Padre desde 1984, o pároco de Travessô, Espinhel e Ois da Ribeira, no Arciprestado de Águeda,lembra ter sido em 1987 que adquiriu o seu primeiro computador, “num tempo em que pouco se ouvia falar de Internet e tão pouco do Google”.

A sua primeira missa online, em 2002, foi notícia, e nessa altura celebrou um casamento com emissão em direto para o Brasil, onde “se encontravam os pais da noiva”.

“Em 2002 organizei a missa interactiva em que eu estava em Travessô e o meu colega estava em Pessegueiro do Vouga (com 30 quilómetros de distância), em que as pessoas de lá estavam a ver o que se passava cá e vice-versa”, recorda.

Desde então o padre Júlio Grangeia não parou intuindo que o caminho da Igreja deveria também ser feito no campo das novas tecnologias.

“Foi importante ser um visionário há uns anos e perceber que o caminho se revelou ser certo, feito a caminhar. Quem anda como eu pelo facebook, pelo youtube, pelo instagram, para quem tem uma presença com os mesmos vídeos no meo kanal, 190619, é fundamental nós chegarmos aos diversos públicos”, reconhece.

Nestes tempos de isolamento social, o responsável pelas três paróquias procura que as pessoas mantenham laços entre si e à comunidade e propõe assiduamente, a par da transmissão online das Eucaristias, catequeses interativas “onde se estabelece diálogo”, via-sacras, “ a oração do terço com as coordenadoras da catequese em que cada mistério é orientado por cada pessoa em sua casa”, e ainda entrevistas e conversas sobre diferentes temas.

Em cada emissão o padre Júlio procura saudar os que se ligam aos conteúdos, chegando a cumprimentar pessoas que residem no Canadá, no Brasil ou em França, estabelecendo, deste modo, uma ligação dos emigrantes à sua terra natal.

Digo muitas vezes que no tempo de Jesus ele dizia: «Ide pelo mundo e anunciai». Hoje é todo o mundo que vem ter connosco e é preciso que estejamos aqui, é preciso que aproveitemos as ferramentas ao nosso dispor no dia de hoje para dizer as pessoas que o projeto de Jesus Cristo não é um projeto de sacristia, de beatos, mas de gente com pés e cabeça. É um projeto para todas as pessoas e para o homem todo”.

A conversa com o padre Júlio Grangeia pode ser acompanhada no programa Ecclesia na Antena 1, esta noite pelas 22h45, sendo a primeira de cinco em se vai perceber como as comunidades e sacerdotes se têm adequado à prática cristã neste tempo de isolamento provocado pela pandemia de Covid-19.

LS

Partilhar:
Share