Tradição, ligada à solenidade da Ascensão, reúne quatro paróquias vizinhas

Foto: J. F. Guardão

Guardão, 27 mai 2022 (Ecclesia) – O padre António Duarte, pároco de Guardão e de Varzielas na Diocese de Viseu, apresentou à Agência ECCLESIA a “Festa das Cruzes”, que une quatro comunidades católicas numa “espetacular” manifestação de fé e amor pela tradição.

A celebração, que decorre este sábado, na região da Serra do Caramulo, começa a ser preparada “logo que a anterior acaba”, com a nomeação de novos mordomos, contando com a participação de três paróquias vizinhas – Santiago de Besteiros, Campo de Besteiros e Castelões-, além de Guardão, a anfitriã.

“Esta é, ou era, a festa mais concorrida e a mais espetacular”, assinala o sacerdote, natural da região do Caramulo.

O padre António Duarte elogia o trabalho “incansável” dos mordomos, na organização das celebrações,

A festa é preparada com três dias de “rogações”, invocações nas quais se pede a proteção de Deus e dos santos.

As celebrações passam este ano a ser assinaladas ao sábado, em vez da tradicional quinta-feira da Ascensão, face à dificuldade de encontrar pessoas disponíveis para dar “o brilho” que elas exigem.

Pelas 10h00 deste sábado, as três paróquias visitantes reúnem-se junto à Capela de São Bartolomeu, cantando as ladainhas antes do “Abraço das Cruzes”, seguindo-se a Missa (11h30) e Bênção dos Campos, antes da procissão final, em que participam todas as cruzes, bandeiras e pendões.

“Este é o abraço das gentes, da amizade que une estes povos vizinhos”, realça o pároco de Guardão.

A conversa com o padre António Duarte integra a emissão deste sábado do Programa ECCLESIA, na Antena 1 da rádio pública, pelas 06h00, ficando depois disponível online.

OC

Partilhar:
Share