D. José Cordeiro, presidente da Comissão Episcopal de Liturgia e Espiritualidade, convidou participantes a passar «da Missa à Missão»

Foto: Bruno Luís Rodrigues (imagem de arquivo)

Fátima, 01 mai 2019 (Ecclesia) – O Santuário de Fátima acolheu hoje milhares de acólitos das dioceses portugueses para um dia de celebração e convívio, na sua peregrinação anual.

A Missa que congregou os participantes, esta tarde, na Basílica da Santíssima Trindade, foi presidida por D. José Cordeiro, bispo de Bragança-Miranda.

O presidente da Comissão Episcopal de Liturgia e Espiritualidade (CELE) centrou a sua reflexão no tema escolhido para a Peregrinação Nacional de Acólitos 2019, “da Missa à Missão”.

“Quem verdadeiramente encontrou Cristo e se encontrou com Ele, tem de O anunciar e testemunhar na simplicidade do quotidiano. Esta é a seriedade simples e bela da Liturgia. A Igreja que anuncia a Palavra, que celebra a Liturgia, é a mesma Igreja ‘em saída’. Podemos, com efeito, dizer que sem Liturgia não há Missão”, sublinhou, numa intervenção enviada à Agência ECCLESIA.

D. José Cordeiro apresentou a Liturgia como “primeira escola da fé e da vida espiritual” e evocou a figura de São Francisco Marto, pastorinho de Fátima e patrono dos acólitos portugueses, no centenário da sua morte.

“Recordamos o amor que ele tinha à celebração e adoração Eucarísticas e como vivia o ardor missionário no seu coração e testemunhava com coragem e confiança, juntamente com a Jacinta e Lúcia, o que tinham visto e ouvido”, disse.

“A coragem de arriscar pelo Evangelho nos conduza sempre do serviço na missa ao serviço da missão na Igreja e no mundo”, concluiu o presidente da CELE.

OC

Partilhar:
Share