Bispo D. Joaquim Mendes acompanhou Tomás Virtuoso, Joana Serôdio e Rui Teixeira a Belém

Lisboa, 02 mai 2018 (Ecclesia) – O presidente da República recebeu os três jovens portugueses que participaram na reunião pré-sinodal, realizada no mês de março em Roma, que lhe apresentaram as conclusões do encontro numa conversa sobre pastoral juvenil, Igreja e sociedade.

Joana Serôdio, representante da Conferência Episcopal Portuguesa; Rui Teixeira, nomeado pela Conferência Internacional Católica do Escutismo – CICE; e Tomás Virtuoso, escolhido pelo Secretariado Internacional das Equipas de Jovens de Nossa Senhora, foram recebidos por Marcelo Rebelo de Sousa, esta segunda-feira, em Belém.

“Era pertinente falar com o Presidente da República e deixá-lo a par de algumas inquietações que fomos percebendo lá e são comuns e que possa ajudar, nem que seja estar mais atento pode ser auxílio para os jovens”, afirmou hoje Joana Serôdio, em declarações à Agência ECCLESIA.

Neste contexto, realça que o Papa Francisco não se quis “focar só nos jovens e na Igreja”, mas abranger “o jovem na sua totalidade e implicação que tem na sociedade”, e na audiência falou sobre a importância da pastoral estar, “cada vez mais, interligada, que não deve ser muito fechada” e desligada da catequese, da vocação, da família.

O encontro com Marcelo Rebelo de Sousa foi motivado pela recente participação dos três portugueses na reunião pré-sinodal, intitulada «We talk together», que reuniu mais de 300 participantes dos cinco continentes, entre 19 e 24 de março, em Roma.

A audiência contou com a presença do presidente da Comissão Episcopal do Laicado e Família, da Igreja Católica em Portugal, o bispo D. Joaquim Mendes, que acompanhou os três jovens.

Segundo Tomás Virtuoso, o presidente da República fez “muitas perguntas”, sobre outras questões como Chefe de Estado mas também como crente e católico “mostrando preocupação”, e estava “bastante interessado”.

“Como é que podemos ver uma Igreja Universal, pensar numa pastoral igual para todo o mundo ou se realmente somos tão diferentes a nível cultural que umas coisas têm de ser diferentes”, lembra Joana Serôdio, destacando que Marcelo Rebelo de Sousa pareceu “extremamente atento a preocupado com estas questões”.

“Uma pessoa com profundo interesse do que vai acontecendo e conhecimento das várias realidades, capacidade de olhar para as coisas de forma muito completa e integral”, frisou Tomás Virtuoso, também esta manhã, à Agência ECCLESIA.

O representante do Secretariado Internacional das Equipas de Jovens de Nossa Senhora contextualizou que o relatório da reunião pré-sinodal tem três partes e a primeira é “quase uma análise sobre os jovens hoje e os desafios que enfrentam”, sobre a qual conversaram com o presidente da República.

Neste contexto, exemplificou que falaram sobre assuntos relacionados com “a reafirmação” da importância das comunidades e da família no processo de formação dos jovens, “como espaço de crescimento”, “sobretudo numa sociedade cada vez mais individualista”.

Outros temas, por exemplo, foram a “necessidade” de os jovens encontrarem “referências, exemplos, modelos de vida” que possam seguir e “conformar a sua vida”, as relações com a “diversidade e pluralismo de situações e convicções”, a relação com a tecnologia, a procura “de sentido da vida”, que também está presente no documento final da reunião pré-sinodal.

A reunião pré-sinodal foi um encontro preparatório para o próximo Sínodo dos Bispos, sobre ‘Os jovens, a Fé e o Discernimento Vocacional’, que se vai realizar entre 3 e 28 de outubro, no Vaticano.

CB/OC

Partilhar:
Share